Seca provoca incêndios no DF, RJ e MG

A seca e a consequente baixa umidade do ar fez multiplicar focos de incêndio em várias regiões do País nos últimos dias, com episódios mais graves em Brasília, Minas e Rio de Janeiro.

Solange Spigliatti, O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2011 | 00h00

No Distrito Federal, uma força-tarefa formada por 600 militares, carros-pipa, 29 viaturas, dois helicópteros e quatro aviões combate os incêndios florestais que atingem o Jardim Botânico, a Floresta Nacional e a Reserva da Aeronáutica desde a semana passada. Desde o início do ano, mais de 10 mil hectares do DF já queimaram.

Em Minas, na tarde de ontem, as chamas atingiram duas regiões de Belo Horizonte - uma próximo à Serra do Curral, e outra na serra do Caraça, onde trabalhavam 36 bombeiros de Belo Horizonte e Itabira e 44 brigadistas voluntários, com ajuda de um helicóptero e dois aviões.

Já na região serrana fluminense, uma força-tarefa do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) começa a fiscalizar amanhã as queimadas no entorno do Parque Estadual dos Três Picos, em Nova Friburgo. Nos últimos dias, o fogo consumiu 260 hectares do parque, a maior unidade de conservação sob administração estadual. O Inea calcula diariamente o Índice de Risco de Incêndios Florestais. Na sexta-feira, esse índice chegou ao nível máximo, caindo para o nível médio ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.