Sean Goldman elogia pai em entrevista

Menino diz que ficou 'confuso' durante os cinco anos em que a família americana e os parentes brasileiros disputaram sua guarda

GUSTAVO CHACRA / NOVA YORK, CLARISSA THOMÉ / RIO, O Estado de S.Paulo

27 Abril 2012 | 03h02

Alvo de uma batalha internacional pela sua guarda, o menino Sean Goldman, de 11 anos, fez elogios ao pai, David, em sua primeira entrevista desde que retornou aos Estados Unidos, no Natal de 2009. "Outros pais podem ser apenas um pai, mas ele é mais do que um pai."

A entrevista completa será exibida hoje em um programa da rede de televisão americana NBC. Sean disse que durante a batalha judicial não estava bravo, mas "confuso". Ele acrescentou que nunca perguntou para a sua mãe e para a avó, Silvana Bianchi, sobre o paradeiro de David na época. "Tinha medo de perguntar."

Filho de David e da brasileira Bruna Bianchi, Sean nasceu nos Estados Unidos. Em 2004, quando tinha 3 anos, ele foi trazido pela mãe para o Brasil, para passar férias. Ao chegar, ela ligou para David para anunciar o divórcio. Em 2008, Bruna morreu no parto da sua segunda filha. O padrasto e a avó prosseguiram na batalha contra o pai pela guarda.

Após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), a família brasileira de Sean entregou o menino ao pai no Consulado dos Estados Unidos do Rio, no dia 24 de dezembro de 2009. Sean disse que nesse dia ficou incomodado pela perseguição dos cinegrafistas que esperavam sua chegada.

Na entrevista, não foi perguntado se o menino mantém contato com a avó. David havia dito que permitiria visitas dela caso fossem retiradas ações judiciais no Brasil. Mas a avó de Sean disse ontem ao Estado que não há nenhum processo contra David.

"Durante toda a disputa, esse senhor decantava o amor que tinha pelo filho. Ele já está com o filho há dois anos e meio, bloqueia o contato dessa criança com a família brasileira. O que mais ele quer? Por que expor o Sean?", questionou Silvana. Ela lembrou que em nenhum momento Sean deu entrevistas no Brasil. Também disse que soube da entrevista que o garoto deu à NBC, mas decidiu não assistir ao programa. "Me faz muito mal."

Sobre os elogios que Sean fez ao pai, a avó afirma que as declarações foram feitas após longo afastamento da família. "A alienação parental é um fato. Por que ele não permitiu que o Sean se manifestasse logo que chegou aos Estados Unidos?"

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.