''Se PM não atirasse, minha mãe estaria em casa''

Passageira foi submetida a cirurgia e permanece em CTI; entre os feridos está um homem que[br]passava pelo local

Pedro Dantas e Tiago Rogero, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2011 | 00h00

RIO

A filha da passageira Lisa Mônica Pereira, de 46 anos, baleada durante o sequestro ao ônibus, criticou ontem a ação policial. A mãe dela e outras duas vítimas permanecem internadas no hospital municipal Souza Aguiar, no centro do Rio. O estado de saúde de Lisa, no entanto, é o mais grave. Atingida no tórax, teve o pulmão perfurado, sofre intensa hemorragia e por isso precisa de doação de sangue do tipo A-.

"O comandante disse que a ação da polícia foi boa porque só cinco pessoas ficaram feridas, mas entre elas está minha mãe, em estado gravíssimo segundo os médicos. Se a polícia não tivesse atirado, a esta hora ela estaria em casa", disse a filha de Lisa, Tammy Pereira.

Durante o dia, ela fez apelos à população, na imprensa, pedindo doações de sangue à mãe. Centenas de pessoas fizeram fila no Instituto Estadual de Hematologia, o Hemorio, no centro.

Segundo boletim da Secretaria Municipal de Saúde, Lisa sofreu fratura da costela e clavícula e contusão pulmonar. Ela passou por cirurgia e está internada na CTI. As outras duas vítimas estão "fora de perigo", mas não há previsão de alta.

Baleado de passagem. Alcir Pereira de Carvalho, de 56 anos, que levou um tiro no pescoço, está em observação na enfermaria da unidade. Ele não era um dos passageiros do ônibus - foi atingido quando passava pela Avenida Presidente Vargas.

Fabiana Gomes da Silva, de 30 anos, que levou um tiro na coxa esquerda, está em observação e passa bem. Josuel dos Santos Messias, de 42 anos, atingido de raspão na perna, recebeu alta ainda na terça-feira.

Um policial militar também foi baleado na ação, mas ele não participava do cerco aos criminosos. O cabo Marcos Alexandre Blanco, que atua no Hospital da PM de Niterói (região metropolitana), estava à paisana e seguia para o trabalho, quando houve a abordagem. Ferido na perna, está internado no Hospital do Estácio e passa bem.

Veja também:

link PMs alvejaram ônibus e feriram reféns no Rio; cúpula da Segurança admite erro

link Entre os detidos está sobrinho de Beira-Mar

blog  Prioridade deveria ser proteger o cidadão e não atacar o 'inimigo'

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.