'Se formos despejados, não sei como será'

Ameaçado de fechar no dia 26, presidente de clube centenário ataca o Pinheiros e a Faculdade Zumbi dos Palmares

Entrevista com

EDISON VEIGA, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2012 | 02h04

Na iminência de ter de cumprir uma decisão judicial que prevê o despejo da associação que dirige, o presidente do Clube de Regatas Tietê, Lauro de Melo Carvalho, de 78 anos, dispara contra duas entidades: a Faculdade Zumbi dos Palmares, que funciona no mesmo terreno do clube, e o Esporte Clube Pinheiros. De acordo com Carvalho, a dívida que a instituição de ensino tem com o agremiação, de mais de R$ 2 milhões, seria responsável pela derrocada da situação financeira do clube. Já o Pinheiros estaria interessado no fim do Tietê, para que seus associados possam praticar atividades esportivas nas "melhores quadras de tênis e piscinas de São Paulo".

Fundado há 105 anos, o Clube de Regatas Tietê corre o risco de desaparecer. Em audiência ocorrida no mês passado na 6.ª Vara da Fazenda Pública, a Justiça determinou que a agremiação tem até o dia 26 para desocupar o terreno de 50 mil m² no Bom Retiro, na região central da capital, que pertence à Prefeitura. O clube recorreu da decisão. Desde outubro de 2009, quando venceu a última concessão de 40 anos da área, a Prefeitura e o Tietê brigam na Justiça.

Leia a seguir a entrevista concedida por Carvalho na tarde de quarta-feira na sede social do Clube de Regatas Tietê.

O senhor acredita que querem prejudicar o Tietê?

Sim. Há muitos interesses. Interesses de empresários. Querem prejudicar o Tietê. Por quê? Por quê? Essa é a pergunta. Aí a gente acompanha as notícias e vê que a Prefeitura está tentando ajudar outros clubes. O Tietê, não. Eu acho que, no final da história, vai haver uma briga entre a Faculdade Zumbi dos Palmares e o Esporte Clube Pinheiros...

Como assim? Qual seria o interesse?

O (prefeito Gilberto) Kassab e (o deputado federal e ex-secretário municipal de Esporte, Lazer e Juventude) Walter Feldman já estavam articulando há mais de dois anos com a diretoria do Pinheiros. Há pedidos de sócios de lá para que passem a praticar suas atividades esportivas dentro do Clube de Regatas Tietê. Um dos motivos é o trânsito, a localização do Tietê. Outro é que aqui eles utilizariam as melhores quadras de tênis e piscinas de São Paulo.

E a faculdade?

A Faculdade Zumbi dos Palmares nos foi imposta por ministros e vereadores. Os mantenedores da instituição tinham a promessa de que tomariam conta do clube. Conforme combinado, eles deveriam pagar ao clube cerca de R$ 40 mil mensais, coisa que nunca foi feita corretamente (de acordo com o balanço financeiro apresentado pelo Tietê, os pagamentos deixaram de ser feitos em março de 2010 e a dívida acumulada seria de R$ 2,1 milhões, somadas as concessões do prédio principal e da lanchonete). Esse é o motivo de nossa situação financeira atual. A pergunta que fica é: caso o Tietê tenha mesmo de sair daqui, quem será o vencedor? A faculdade ou o Pinheiros?

Quando a faculdade se instalou aqui o senhor já era associado? Participava da diretoria?

Sou sócio há quase 40 anos. Em 2008, quando a faculdade veio para cá, eu não fazia parte da diretoria do clube (ele assumiu a presidência no início de 2012). Na época, estava em Curitiba, onde mora meu filho. Quando voltei a São Paulo, fui surpreendido com a faculdade dentro do clube. Se eu fizesse parte da diretoria naquela ocasião, eles não teriam entrado de jeito nenhum. Eu brigaria até o fim.

Quem trouxe a faculdade para o terreno do clube?

Aí é que a coisa engrossa. Uns dizem que foi o governo federal, outros dizem que foi o ex-ministro (do Esporte) Orlando Silva. Eles são fortes, disso não tenho dúvida.

E essa dívida que o senhor alega que eles têm com o clube está sendo cobrada?

Sim, estamos brigando na Justiça para que eles nos paguem.

O clube enfrenta problemas financeiros. Quantos sócios há hoje? As mensalidades são a principal renda do clube?

São 1,5 mil sócios, que pagam R$ 40 por mês. É uma mensalidade barata. A nossa principal renda é o aluguel de nosso salão social. Aquilo é uma mina de dinheiro. O aluguel custa de R$ 8 mil a R$ 12 mil. Temos 15 eventos agendados até o fim do ano, é um salão muito procurado. Agora dependemos da decisão judicial, porque, se formos despejados, não sei como vai ser.

E como fica a situação do clube? O senhor acredita que vão ter de sair no dia 26?

Entramos com um recurso e estamos otimistas (de que vão conseguir ficar no terreno). Se perdermos, vamos para as esferas federais, lutaremos até o fim. O Tietê é um patrimônio de São Paulo, por aqui passaram grandes campeões, inúmeros (a tenista Maria Esther Bueno e os nadadores Abílio Couto e Maria Lenk estão entre os maiores orgulhos da tradicional agremiação, fundada em 1907). Estou confiante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.