'Se Deus quiser, é só um engano e minha filha vai voltar'

A técnica contábil Cibele Facco, de 35 anos, estava sentada na tarde de ontem em uma das arquibancadas do Centro Desportivo Municipal, abraçada ao marido, que é médico. "Ele estava de plantão em Faxinal (cidade vizinha a Santa Maria), quando recebeu a ligação (avisando sobre a tragédia). Viemos desesperados para cá. Já fomos em todos os hospitais e até entramos na UTI, mas minha filha não está em nenhum lugar."

/ CAMILA CUNHA, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

28 Janeiro 2013 | 02h06

Mesmo com as tentativas sem sucesso, Cibele acreditava ontem que a filha estava viva. "Acho que ela não morreu. Se Deus quiser, vai ser só um engano e minha filha vai estar de volta comigo." A técnica contou que a filha morava em Faxinal e quase chegou a perder o ônibus para ir a Santa Maria assistir aos shows na casa noturna Kiss.

"Por alguns minutinhos, minha filha não estaria em Santa Maria e eu não estaria na fila para reconhecer o corpo", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.