'Se bobear, atraso e perco a prova'

Em Araçatuba, estudante sai de casa 1 hora antes

O Estado de S.Paulo

11 Julho 2012 | 03h04

O aumento da frota obrigou os motoristas de São José do Rio Preto e Araçatuba a mudarem de hábito nos últimos tempos.

"Nos dois últimos anos, passei a sair mais cedo de casa para não chegar atrasada à faculdade", diz a universitária Martinha Kelly Mioto Quirino, moradora de Araçatuba. "Antes, a gente ia mais tranquila. Agora, se bobear, chego atrasada e acabo perdendo uma prova."

Para ir à faculdade, Martinha saía 20 minutos antes. Mas agora sai quase uma hora antes. "Vou antes do horário de pico, porque se deixar para depois das 18h30 me atraso e me estresso no trânsito", diz.

No caminho, ela tem de passar pela Avenida Baguaçu, uma das vias de maior estrangulamento de trânsito na zona urbana de Araçatuba. Por ali, trafegam milhares de pessoas que vão para o Hospital da Unimed e para as Faculdades Salesianas e Unip, as duas com mais de 20 mil estudantes. Praticamente não há caminho alternativo. "Nos horários de pico, não dá para passar por lá. São formadas três filas de carro em uma avenida de mão dupla", diz a estudante. "Por isso saio mais cedo."

Outros pontos de congestionamento em Araçatuba estão na região central da cidade e em alguns acessos - o problema é que o motorista não pode pegar as ruas secundárias, que estão esburacadas.

Motos. Além disso, há grande quantidade de motocicletas: a cidade é a que concentra o maior número de motos por pessoa. "A maioria não respeita os veículos. Além dos congestionamentos, temos de enfrentar os motoqueiros sem educação", diz o comerciante Roberto Fernandes. / C.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.