São Sebastião adia votação de brecha para verticalização

A polêmica sobre a construção de um hospital de mais de 10 metros de altura na Praia de Boiçucanga, em São Sebastião, litoral norte de São Paulo, foi para a prorrogação. Na noite de anteontem, na segunda audiência pública realizada com moradores, o prefeito Ernane Primazzi (PSC) foi pressionado a desistir do projeto que altera a legislação para viabilizar a obra, que extrapola os 9 metros de altura permitidos atualmente. Com isso, a Câmara Municipal de São Sebastião optou por adiar a votação do projeto, prevista para a noite de hoje, em sessão extraordinária, até que uma terceira audiência pública seja feita.

Flávia Tavares, O Estado de S.Paulo

07 Janeiro 2011 | 00h00

"Ficou claro para o prefeito que a maioria dos moradores é favorável à construção do hospital, mas é contrária à mudança da lei, que pode abrir de vez brechas para a verticalização da região", afirmou Ana Soares, vice-presidente do Conselho Municipal de Saúde de São Sebastião.

Médicos observaram durante a audiência que, caso seja erguido na Avenida Walkir Vergani, trecho da Rodovia Rio-Santos, o hospital ficará sujeito aos transtornos causados pelos congestionamentos, festas de carnaval na praia e fogos de fim de ano. Argumentaram também que seria mais importante melhorar a estrutura de saúde já existente na cidade, com mais profissionais e equipamentos.

Agora, o projeto do prédio do hospital deve ser encaminhado para parecer do Conselho de Urbanismo de São Sebastião (Condurb) e para o Conselho de Saúde da cidade.

Os que se opõem ao hospital naquela avenida argumentam também que no interior dos bairros os terrenos seriam mais baratos e afastados do trânsito. O prefeito rebate: "As ruas do bairro são estreitas. A avenida é a via mais larga e liga as áreas da Costa Sul diretamente."

Primazzi diz ainda que a alteração na lei sobre a altura de construções é específica para o hospital e não poderia servir de parâmetro para outros empreendimentos na região.

LIMITES VERTICAIS

Caraguatatuba

Prédios da orla podem ter até 9 pavimentos

Ubatuba

Altura máxima: 20 metros

Ilhabela

Altura máxima: 8 metros

São Sebastião

Altura máxima: 9 metros

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.