São Paulo vai terceirizar atendimento da PM via 190

Licitação está pronta e aguarda aval jurídico para ser lançada; capital, Osasco e São José dos Campos seriam primeiras cidades a ter novo sistema

Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo

03 Setembro 2013 | 18h35

CAMPINAS - A Secretaria Estadual de Segurança Pública de São Paulo vai terceirizar o atendimento de emergências por telefone, o 190 da Polícia Militar (PM). O objetivo é colocar nas ruas parte dos policiais que fazem o serviço.

A licitação está pronta e aguarda aval jurídico para ser lançada para contratação de empresas que fornecerão os atendentes. As equipes passarão por treinamento e serão monitoradas por policiais militares.

A capital, Osasco e São José dos Campos serão as primeiras áreas a terem a mudança implementada como projeto-piloto. Segundo a assessoria da imprensa da PM, a ideia é levar o modelo para o resto do Estado.

O secretário da Segurança Pública do Estado, Fernando Grella, enfatizou que a medida é para eliminar a chamada atividade meio. "Essa medida faz parte de uma atividade que já está sendo desenvolvida faz um tempo pela Polícia Militar, que é eliminar o emprego de policial em atividade meio e empregá-los somente em atividade fim", disse Grella, em visita a Campinas,na segunda-feira, 2.

Mais conteúdo sobre:
violênciapolícia militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.