Diego Diniz/FotoRepórter/AE
Diego Diniz/FotoRepórter/AE

São Paulo teve recorde de queda de árvores num único dia

Os fortes ventos derrubaram 60 árvores na capital paulista; ao todo foram 433 quedas desde janeiro

Elvis Pereira, da Central de Notícias,

05 Maio 2009 | 19h20

Os fortes ventos derrubaram na segunda-feira, 4, 60 árvores na capital paulista. Trata-se do maior número registrado num único dia este ano, segundo a Defesa Civil. Desde janeiro, foram contabilizadas 433 quedas na cidade. O saldo ultrapassa o verificado durante todo o ano passado, quando 173 árvores caíram, e o de 2007, que atingiu 242.

 

Veja também:

linkVentos que atingiram São Paulo foram previstos 48 horas antes

link Ventania em SP foi formada no Paraguai, diz CGE

link São Paulo ainda tem regiões sem luz após fortes ventos

link Ventos derrubam árvores em SP e deixam bairros sem luz

 

O coordenador das Áreas Verdes da Secretaria das Subprefeituras de São Paulo, André Graziano, atribuiu o aumento aos temporais ocorridos neste semestre. Ele afirmou que a poda preventiva é a melhor forma de evitar as quedas. "Até este ano, tinha dado excelentes resultados. Agora, todos os números ficaram embaralhados. Os temporais acabaram com a logística de prevenção".

 

Outras causas das quedas são a poda irregular, o apodrecimento das raízes por falta de água e ar, em razão da impermeabilização do solo, e o ataque de insetos e cupins. Segundo Graziano, o tratamento de pragas requer a aplicação de pesticidas, prática ainda inviável em áreas de grande densidade populacional.

 

No mês que vem, a Prefeitura pretende iniciar o cadastro das árvores existentes na cidade. Inicialmente, o projeto deverá abranger apenas algumas regiões. O coordenador explicou que a ideia é criar um banco de dados, que permitirá o acompanhamento da condição das árvores.

 

De acordo com Graziano, a contratação de engenheiros agrônomos aprovados num concurso realizado em 2007 deverá ser concluída em breve. Com isso, pretende-se reduzir o tempo do processo para execução de podas. Atualmente, pode levar até três meses. Após a solicitação pelo telefone 156, o engenheiro visita o local e emite um laudo, enviado ao subprefeito. Se este autorizar o serviço, ele é publicado no Diário Oficial. Caso ninguém se oponha à poda dentro de 10 dias, o pedido entra no cronograma para ser efetivado.

 

Segunda

 

Três bairros concentraram a maioria das quedas de árvores ocorridas na segunda, 4. Em Santo Amaro, despencaram sobre vias e carros 49 árvores e galhos. "Muitas dessas árvores estavam sadias, mas o vento foi muito forte", afirmou o supervisor de Áreas Verdes da Subprefeitura de Santo Amaro, Nivaldo Prado. Uma das áreas mais arborizadas da cidade, Pinheiros teve 45 árvores e galhos arrancados pela ventania. Em Pirituba, na zona norte, houve a queda de 22 árvores. Em Santo Amaro, a remoção das árvores caídas deverá ser concluída dentro de até cinco dias. Em Pinheiros e Pirituba, os trabalhos serão finalizados na manhã de quarta, 6.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.