São Paulo terá dança da chuva no Masp

São Paulo terá dança da chuva no Masp

Evento A Maior Dança da Chuva do Mundo, marcado para as 19h, tinha, até a noite de quinta, mais de 39 mil pessoas confirmadas

Edison Veiga, O Estado de S. Paulo

21 Novembro 2014 | 03h00

A Irlanda não precisou de uma Cantareira quase seca para entrar no livro dos recordes como palco da maior dança da chuva do mundo, com 395 participantes, em 2011. Mas, se depender da vontade de cinco publicitários paulistanos, o número será batido na noite desta sexta-feira, 21. O evento A Maior Dança da Chuva do Mundo, marcado para as 19 horas no vão livre do Masp, tinha, até a noite desta quinta, mais de 39 mil pessoas confirmadas. 

“Esperamos de 5% a 10% desse número”, afirma o publicitário Eduardo Lunardi, um dos organizadores. De acordo com ele, a mobilização tem um quê de brincadeira, mas também um lado sério. “Foi uma estratégia para levantarmos a questão da crise hídrica.”

Não é o único espaço no Facebook criado recentemente que tem a água como tema. O Existe Água em SP, por exemplo, surgiu com o objetivo de mapear as nascentes que existem no Município, muitas desconhecidas. “São os pequenos riachos, os esquecidos”, afirma o ativista ambiental Adriano Sampaio, criador da página. 

Ele conta que, desde que abriu o espaço, há três meses, já “descobriu” cerca de 50 nascentes. “Acredito que daria para captar água desses locais, desde que com cuidado e preservação.”

Outros grupos na internet que têm sido centro de discussões acerca da crise hídrica que assola o Estado (ou, como o pessoal das redes sociais prefere, da #crisehidrica) são o Lute pela Água e a Associação Guardiã da Água. Não são, entretanto, os únicos exemplos.

Mais conteúdo sobre:
Crise da água

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.