Filipe Araújo/AE
Filipe Araújo/AE

São Paulo registra recorde de frio e calor em agosto

Capital paulista teve o dia mais frio do ano e o mais quente do inverno no último mês

Fabiana Marchezi, Central de Notícias

01 Setembro 2010 | 16h31

SÃO PAULO - A capital paulista registrou o dia mais frio do ano e o dia mais quente do inverno no último mês de agosto. Além disso, agosto também teve o maior número de dias seguidos com baixa umidade e um dos mais secos da história.

 

De acordo com a Somar Meteorologia, até o dia 19, os termômetros da capital paulista não chegaram aos 27ºC nos dias mais quentes, sendo que em nove dias a máxima ficou abaixo dos 20ºC. No dia 16, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou a menor temperatura do ano, com mínima de apenas 8,5ºC.

 

Já nos últimos 10 dias do mês, a mudança foi brusca: os termômetros passaram dos 27ºC quase diariamente, sendo que no dia 25 tivemos a temperatura mais alta do inverno, com máxima de 31,7ºC.

 

Com a falta de chuva, a capital paulista também registrou um dos meses de agosto mais secos da história, com apenas 0,6mm. Segundo o Inmet, agosto de 2010 só perde para 2007 quando não choveu um milímetro sequer e para 1975 quando foram registrados 0,4mm.

 

Pelos dados do CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura), esse foi o segundo agosto mais seco dos últimos 15 anos, quando foram iniciadas as medições na cidade. Apesar disso, a situação é considerada normal, já que agosto é o mês mais seco do ano, com uma média climatológica de apenas 39mm.

 

"Mas não dá pra generalizar, nenhum ano é igual ao outro. Em 2008 e 2009, por exemplo, a cidade de São Paulo registrou chuvas acima da média, com 73,4mm e 55,4mm, respectivamente", afirma Adílson Nazário, do CGE.

 

Por conta do calor dos últimos dias e da estiagem, os índices de umidade despencaram. Desde 1961, quando o Inmet passou a armazenar os dados de umidade na cidade, não era registrado uma sequência de dias tão secos no mês de agosto.

 

Foram 11 dias seguidos em que os índices ficaram abaixo do Estado de Atenção (valores entre 20% e 30%), considerando estudos do Epagri/Unicamp. Nos dias 20, 23, 24, 25, 26, e 27 houve decretação do estado de alerta (situação em que os valores de umidade oscilaram entre 12% e 20%).

 

Mas, foi no dia 27 que ocorreu a menor umidade relativa do ano e também o segundo menor valor da história, com índice de apenas 12%, no limiar para a decretação do estado de emergência, que são valores abaixo dos 12%. De acordo com dados do Inmet, o menor índice desses quase 50 anos de mediação na cidade foi de 10%, registrado em 14 de agosto de 2009.

 

Poluição. Segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), ligada a Secretaria do Meio Ambiente, desde o ano de 2002 a Região Metropolitana de São Paulo não registrava uma sequência de dias com qualidade do ar tão ruim: foram 10 dias seguidos com qualidade inadequada ou má, sendo que os piores dias foram 27 e 29 de agosto, com 7 e 8 estações com má qualidade do ar, respectivamente.

 

Segundo os meteorologistas da Somar, todas essas situações registradas durante o mês de agosto na cidade de São Paulo podem ser atribuídas a dois fenômenos distintos. Primeiro, tivemos a onda de frio mais intensa deste inverno justamente em agosto, com a temperatura mais baixa no ano no dia 16. "Esse frio tardio se deve ao enfraquecimento do fenômeno El Niño", explica Celso Oliveira.

 

Já a partir do dia 20, tivemos um bloqueio atmosférico impedindo o avanço das frentes frias, fazendo com que uma grande massa de ar seco e quente tomasse conta de São Paulo. Por isso, os recordes de calor, baixa umidade, poluição e estiagem.

 

Previsão. As condições climáticas para o mês de setembro ainda não serão ideais, segundo previsão da Somar, mas já haverá uma melhora em relação ao mês de agosto, com o início da transição de um inverno seco para uma primavera mais úmida.

 

A partir de agora, as frentes frias devem passar com mais frequência pela região. Mesmo fracos, esses sistemas devem trazer alguns episódios de chuva que contribuem para melhorar a qualidade do ar e diminuir o calor.

Mais conteúdo sobre:
tempo seco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.