Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

São Paulo registra 35,8°C no primeiro dia do horário de verão

Paulistanos vão a praças e parques para aproveitar o domingo de sol e forte calor, mas preferem garantir um lugar à sombra

FABIANA CAMBRICOLI, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2014 | 02h01

SÃO PAULO - Com muito sol e altas temperaturas, o primeiro dia do horário de verão deixou parques, praças e outras áreas públicas de São Paulo lotados, mas os espaços mais disputados não foram as pistas de caminhada e ciclismo ou os parques infantis. O que realmente atraiu os paulistanos neste domingo, 19, foi qualquer pedacinho de sombra, de preferência debaixo de uma árvore.

No Parque Villa-Lobos, na zona oeste da capital paulista, os espaços gramados estavam praticamente todos ocupados por volta das 14 horas.

Famílias, casais, grupos de amigos e ciclistas. Mesmo os que haviam ido ao parque para se exercitar passaram boa parte do tempo na sombra. "A gente veio para andar de bicicleta, mas demos uma volta e não aguentamos. O calor estava insuportável e decidimos ficar na rede mesmo", conta o analista de logística Moacir Giovanello, de 34 anos, que foi ao Villa-Lobos com a mulher e o filho, de 8 anos.

"O jeito é demarcar o território com as redes e ficar só no sorvete e na água gelada. Pelo menos, dá para aproveitar bastante o dia porque vai escurecer mais tarde por causa do horário de verão", diz Giovanello, que mora com a família em Osasco.

No domingo, os termômetros chegaram a 35,8ºC, segundo medição do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Foi o sétimo dia mais quente do ano, de acordo com as estatísticas do órgão. Na última sexta-feira, 17, a capital registrou a maior temperatura dos últimos 71 anos, quando as medições foram iniciadas. Na data, a máxima foi de 37,8ºC.

A fuga do sol e a busca por sombra dividiu a opinião dos vendedores dos parques. Para quem trabalha com água e sorvete, o movimento foi acima da média. "Só hoje já vendi 420 picolés. Acho que dá uns 30% a mais do que no último domingo", comemorava a vendedora Andreza Silva, de 19 anos.

Já aqueles cujos negócios dependem das atividades praticadas no parque estavam descontentes. Subgerente da empresa Green Bike, que oferece o serviço de aluguel de bicicletas no Villa-Lobos, Gerson Adriano, de 21 anos, afirmou que o calor espantou os interessados em pedalar. "Nos outros fins de semana, neste horário, a fila para alugar bike é enorme, dá a volta no quiosque. Hoje está fraco o movimento", disse ele, sem mencionar números. Às 15h, cerca de dez pessoas aguardavam na fila para alugar equipamentos.

Os frequentadores que não desanimaram com o sol elogiaram as pistas mais vazias. "Quando deu meio-dia e o sol ficou mais forte, todo mundo saiu da pista e ficou bom para andar de skate", diz o estudante Logan Hendrix, de 13 anos.

Sem sombra. No centro da cidade, as pistas do Minhocão, que ficam interditadas para veículos aos domingos, também estavam mais vazias neste domingo, mesmo com o calor. Como não há áreas de sombra, o movimento foi fraco. "Nos outros domingos tinha pelo menos o dobro de gente por aqui. O calor espantou todo mundo. E, como aqui é tudo asfalto, não tem para onde fugir", conta a vendedora ambulante Suzana Riqueto, de 39 anos.

O movimento só começou a aumentar no local a partir das 17h, quando o clima ficou mais ameno. Mesmo assim, uma das únicas áreas que reuniam grande número de pessoas na via era um local onde foram montados quiosques com distribuição gratuita de sorvete e água gelada.

Foi no final da tarde que a estudante Viviane Oliveira, de 33 anos, levou o filho Henzo, de 4, para andar de bicicleta. "Fiz um esforço para encarar o calor, mas esperei até agora porque antes o mormaço estava muito forte", conta ela.

O calor forte e a chegada do horário de verão fizeram com que paulistanos adotassem a mesma estratégia no Parque do Ibirapuera, na zona sul. Moradora do Lauzane Paulista, na zona norte, a professora Noelle Silva Santos, de 30 anos, chegou ao parque com o filho depois das 16h.

"Com o horário de verão, a gente consegue aproveitar até tarde, por isso preferimos deixar o sol abaixar para vir", diz Noelle. Primeiro, ela buscou uma área com sombra para fazer um piquenique e, só depois, seu filho foi andar de bicicleta pelo parque.

Interior e litoral. No interior e no litoral, os termômetros também marcaram altas temperaturas neste domingo. O recorde do Estado no primeiro dia do horário de verão foi de 38,6ºC, registrados nas regiões de Bauru e Lins. No litoral paulista, a máxima registrada foi na estação de medição de Iguape, com 36,6ºC.

Chuva fraca. A chegada de uma frente fria vinda do Sul do País trouxe chuva para as regiões sul e oeste do Estado de São Paulo depois das 19h. Choveu também na capital e na região do Cantareira, com intensidade entre fraca e moderada. Segundo o Climatempo, esta segunda-feira, 20, o dia será quente, mas à tarde a temperatura cai e deve chover. A partir de terça-feira, 21, o tempo muda, com dias mais frios, mas sem previsão de chuva.

Tudo o que sabemos sobre:
CalorSão PauloHorário de verão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.