São Paulo Reclama

FALTA DE INFORMAÇÕES GERA TRANSTORNOS

, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2011 | 00h00

Descaso com o cliente

Minha mulher e eu iríamos viajar de São Paulo para Nova York, em 30/8, às 8h45, pela TAM. Por causa do furacão Irene, na véspera da viagem liguei para a companhia aérea, que confirmou o voo. Mas às 5h30, no check-in, a funcionária informou que teríamos de embarcar às 22h30 porque o nosso voo estava lotado. Detalhe: o local do check-in ainda estava vazio. Muitos passageiros ficaram revoltados, porém a atendente foi irredutível e disse que deveríamos buscar a Justiça para reclamar. Fiz uma queixa na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) no aeroporto. Fomos encaminhados para um hotel em Guarulhos, de onde escrevi para o jornal. A TAM vai pagar a diária do hotel que perdi? Para mim, a companhia deveria ter nos avisado do problema para evitar esse desgaste.

ALEXANDRE ALTENFELDER / SÃO PAULO

A TAM responde que enviou um e-mail ao sr. Altenfelder para esclarecer que o Aeroporto John Fitzgerald Kennedy (JFK), em Nova York, teve suas operações suspensas nos dias 27, 28 e 29/8 após a passagem do furacão Irene. Explica que imprevistos meteorológicos são incontroláveis e geram inconvenientes. Informa que procurou contornar a situação da melhor maneira possível para o cliente. Diz que prestou toda a assistência necessária aos passageiros. Acrescenta que aqueles que tiveram seus voos cancelados puderam efetuar a remarcação de seus bilhetes para voos em datas disponíveis, sem ônus, ou optar pelo reembolso integral de seus bilhetes.

O leitor desmente: Além de não ter sido avisado pela TAM, na véspera da viagem liguei e obtive a resposta afirmativa que minha reserva estava confirmada.

PROBLEMAS NO ENTORNO

Estação Fradique Coutinho

Já foi comentado na São Paulo Reclama sobre a demora na inauguração da Estação Fradique Coutinho, da Linha 4-Amarela do Metrô (27/8). Como está prevista apenas para o ano de 2014, reclamo sobre o que ocorre no entorno dessa estação, por onde circulo todos os dias. A obra já está parada há uns dois anos e o tapume, instalado na calçada da Rua Pinheiros, está deteriorado e atrapalha a passagem de pedestres, obrigando-os a caminhar pelo meio da rua. Na calçada estreita também temos coletores seletivos de lixo e árvores plantadas, que obstruem ainda mais a passagem, e há ainda quem deixe sacos de entulho e lixo. Fiscais da Prefeitura estão omissos ao problema e já deveriam ter multado o Consórcio Via Amarela. Essa situação é lamentável.

NELSON COVAS / SÃO PAULO

O Metrô esclarece que no local citado será construído outro acesso da futura Estação Fradique Coutinho da Linha 4-Amarela. Sobre a presença de material de obra, responde que recentemente a construtora (Lindenberg) executou o muro de divisa de um empreendimento imobiliário com a futura estação metroviária. Com a conclusão dos serviços no final do mês de agosto, a construtora já realizou também a limpeza da área. Informa que os tapumes foram instalados pelo Consórcio Via Amarela (CVA), que realiza as obras da Linha 4-Amarela, há cerca de dois anos. Eles necessitam de manutenção permanente porque são de madeira. Para melhorar as condições de passagem das pessoas no local, enquanto não se iniciam as obras da fase 2 da Linha 4, foi solicitado ao CVA o alinhamento do tapume com os imóveis daquela calçada. Esse serviço deverá ser executado na próxima semana. Quanto aos sacos de lixo depositados no passeio, o Metrô mantém contato permanente com a subprefeitura responsável pela região.

O leitor conclui: Espero que com essas providências os munícipes se sintam inibidos em depositar entulho e lixo na calçada.

SERVIÇOS DA CPFL

Emenda é pior que soneto

Em 20/6, a CPFL Piratininga realizou serviços na rede elétrica na chácara vizinha à minha, em São Roque. O caminhão usado no serviço destruiu uma galeria de águas pluviais na calçada de minha casa. Entrei em contato com a Ouvidoria da empresa para solicitar os reparos. A CPFL deu um prazo de dez dias para dar um posicionamento. Após esse período, não recebi nenhuma resposta. Enviei e-mails à concessionária, mas não recebi nenhum contato. Liguei para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e relatei o caso, mas também não adiantou nada. E agora?

ADEMAR RAVAGNANI / PIRATININGA

A CPFL Piratininga informa que entrou em contato com o cliente sr. Ravagnani para dar início ao processo de solicitação de ressarcimento.

O leitor reclama: Tirei as fotos e enviei-as em 30/8 para a Ouvidoria, entretanto, até o momento não obtive nenhum retorno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.