, O Estado de S.Paulo

05 de agosto de 2011 | 00h00

Dívidas só aumentam

A creche em que minha filha de 2 anos está matriculada, da Associação de Educação Popular Pixote, filiada à prefeitura de Osasco, está em greve desde o dia 18/7. Isso porque os funcionários não recebem seus salários há 3 meses. Acredito que a prefeitura deve estar passando por algum problema, pois é um absurdo não pagar nem mesmo o salário dos professores!

PRISCILA GRACIELLE AMORIM / OSASCO

O Departamento de Comunicação da prefeitura de Osasco esclarece que o caso dessa unidade de ensino é isolado. Informa que o processo do convênio com a creche mencionada está em andamento, atualmente, na obtenção de assinaturas. O atraso foi ocasionado por causa da morosidade na entrega de documentos e da regularização de pendências por parte da entidade conveniada e do trâmite administrativo, que deve ser rigorosamente seguido e obedecido.

A leitora reclama: Se a associação estava com problemas, deveria ter transferido as crianças para outra unidade. No dia 2/8 entrei em contato com a Secretaria da Educação e com a prefeitura de Osasco, que informou que o pagamento já tinha sido efetuado e o problema, resolvido. Mas, ao ligar para a associação, constatei que a creche está sem água por falta de pagamento e que não há previsão de retorno das aulas. Sinto-me abandonada! Não entendo por que há leis sobre o direito da criança e do adolescente, se não são respeitadas e não podemos fazer valer esses direitos, pois ninguém assume a culpa ou tenta resolver a situação. Preciso trabalhar e tenho de deixar minha filha de manhã com a irmã e, à tarde, com o pai, que trabalha à noite, mas não me sinto tranquila com essa situação.

ABUSO NO TRÂNSITO

Avenida Salim Farah Maluf

Reclamo da falta de limites na Avenida Salim Farah Maluf (na altura do n.º 3.900) quanto ao excesso de caminhões e demais utilitários que param na pista da direita, num bom prolongamento do logradouro, o que dificulta a vazão do trânsito local.

PIERRE MAGALHÃES / SÃO BERNARDO DO CAMPO

A CET responde que, a fim de melhorar as condições de segurança e fluidez viária na Av. Salim Farah Maluf, na altura do nº 3.900, irá instalar placas de regulamentação de proibição de estacionamento de 2ª a 6ª, das 17 às 20 horas. O serviço será feito de acordo com o cronograma da companhia.

O leitor salienta: A fluidez de veículos na avenida também é crítica fora do período citado pela CET. A medida é paliativa, pois, em 29/7, por exemplo, transitei pela avenida por volta das 15 horas e constatei veículos estacionados na pista da direita, principalmente na altura do n.º 4.300.

DESCASO DA NET

Cobrança abusiva

Desde maio recebo contas telefônicas da NET com registros de chamadas que nunca realizei para números que desconheço e num valor exorbitante. Já entrei em contato inúmeras vezes com a central de atendimento para pedir que fossem revistos os telefonemas, além de solicitar uma vistoria, que me foi negada por um funcionário, sob a justificativa de ser desnecessária. Sempre paguei todas as contas corretamente, mas corro o risco de perder a linha telefônica, da qual dependo muito, pois estou enferma e preciso entrar em contato com frequência com a assistência médica e com conhecidos, quando preciso de ajuda. Solicitei ainda à NET a troca do modem, a fim de resolver os incessantes chiados na linha telefônica, mas depois da troca não houve melhora.

SUZETE SANTANA KRUPENSKI / SÃO PAULO

A NET informa que entrou em contato com a cliente e esclareceu as dúvidas sobre as ligações efetuadas do NET Fone.

A leitora desmente: Nada foi resolvido! As chamadas continuam e funcionários da NET sempre me ligam indagando quando eu pagarei a conta! Mas não vou pagar por algo que não usufrui. E, mesmo estando doente, entrei com processo contra a empresa e pretendo ir até o fim.

PLANTIO DE ÁRVORES

Promessa não cumprida

Até quarta-feira (3/8) nenhuma árvore foi replantada nos locais de onde foram arrancadas, conforme informara a Prefeitura. (Em 4/6 foi publicada a denúncia do leitor sobre o corte de 12 árvores em diversas ruas do Brás. Na ocasião, a Subprefeitura Mooca disse que elas tinham sido arrancadas de forma irregular e que todas seriam replantadas na primeira semana de junho.) Apenas a enorme árvore em frente ao número 69 da Rua Sampson foi reposta, mas por uma bem pequena. A Subprefeitura Mooca mentiu ao jornal ao responder minha reclamação.

FLAVIO MARCUS JULIANO / SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.