São Paulo Reclama

Poda e remoção de árvore

, O Estado de S.Paulo

30 Julho 2011 | 00h00

A Rua Agudos, uma travessa da Rua Vasconcelos Drummond, Vila Monumento, é pequena. Há trechos em que as calçadas estão totalmente arrebentadas pelas raízes de árvores de grande porte, principalmente, entre os números 20 e 100. Há o risco de elas caírem sobre os carros e as pessoas. Os pedestres caminham pela rua porque as calçadas, além de estreitas, estão destruídas. Existem ainda muros que ameaçam desabar. Envio esta queixa ao Estadão para alertar e, quem sabe, evitar que ocorra a mesma tragédia da Alameda Glete, em Santa Cecília, em 7/6, quando uma árvore caiu, uma pessoa morreu esmagada e a outra foi levada em estado grave ao hospital.

ODILON DA SILVA ROCHA / SÃO PAULO

A Subprefeitura Ipiranga informa que, após vistoria de um engenheiro agrônomo, foi constatado que apenas uma das árvores na Rua Agudos necessita de remoção. Explica que, após a devida autorização, esse serviço será executado por equipes da subprefeitura. Uma nova espécie, mais adequada ao espaço, será plantada em substituição à árvore removida. Sobre os problemas relacionados à calçada, esclarece que, conforme a legislação, a responsabilidade pela manutenção e a conservação da calçada compete ao proprietário do imóvel. Uma vistoria será realizada para verificar os problemas e notificar os proprietários sobre a necessidade dos devidos reparos.

O leitor relata: Vou confiar nas providências prometidas. Fiquei sabendo pelas reuniões do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) do Cambuci-Vila Monumento que os pedidos de poda ou de remoção de árvores demoram muito para ser atendidos.

FAÍSCAS EM POSTE

Solução demorada

Em frente à janela de meu apartamento há um poste de energia, cujos fios soltam faíscas e chamas constantemente. O poste fica na Alameda Lorena, na altura do n.º 1.681. Já acumulei 3 protocolos solicitando o conserto à AES Eletropaulo e nada foi feito. Outros moradores do meu prédio também reclamaram, em vão. Por isso solicito ajuda ao jornal antes que ocorra algo mais grave.

BERNARDO KRASNIANSKY / SÃO PAULO

A Assessoria de Imprensa da AES Eletropaulo informa que substituiu o conector do transformador no dia 7/7.

O leitor revela: A AES Eletropaulo só solucionou o problema 3 meses depois da minha primeira solicitação.

NUNCA HÁ LUGAR

Milhas da TAM

Sou cliente vermelho da TAM desde o início do Programa Fidelidade. Tentei marcar passagem na primeira classe ou na executiva com Pontos Fidelidade e, por incrível que pareça, não existe nenhum assento, em nenhum voo, para nenhuma cidade da Europa nos próximos 6 meses (o período máximo permitido pela TAM). Dá para acreditar? Eventualmente a empresa aérea oferece a alternativa de viajar com empresa parceira, mas, nestes raríssimos casos, com conexões estrambólicas. Ou é preciso utilizar o que eles chamam de "milhagem irrestrita", com o valor cinco vezes maior do que o normal. É assim que nos trata uma empresa aérea que se diz "preocupada com o seu cliente"?

JOÃO CARLOS EZIRIO / CURITIBA

A TAM, por meio do Fale com o Presidente, serviço de atendimento ao cliente, informa que entrou em contato por e-mail com sr. Ezirio. A limitação de lugares para a emissão com pontos do Programa TAM Fidelidade em voos internacionais, com exceção da América do Sul (em voos operados pela TAM), é uma condição existente desde o início das operações internacionais. Para um voo com demanda aquecida em alta temporada ou num feriado nacional, as tarifas promocionais e as cotas para utilização de pontos podem ser oferecidas em menor número. Assim, a TAM oferece a opção de classes irrestritas, em que é possível emitir bilhete com pontos em qualquer voo e época do ano, desde que haja lugares disponíveis para reserva, utilizando uma quantidade maior de pontos. Salienta que os funcionários da Central de Reservas estão sempre à disposição para localizar as opções com lugares disponíveis no voo da preferência do cliente com a quantidade normal de pontos. O Fale com o Presidente continua à disposição para mais esclarecimentos, pelo telefone 0800 123200, site www.tam.com.br (ícone "Fale com o Presidente") ou fax 0800 123900.

O leitor se revolta: De novo a mesma resposta (exatamente igual à que me mandaram anteriormente). Então basta, não é? O que mais me deixa indignado é a atitude da TAM de continuar repetindo um discurso que não condiz com a verdade. Cansei de receber essas respostas "enlatadas" da empresa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.