São Paulo Reclama

CARTÃO BNDES

, O Estado de S.Paulo

27 Julho 2011 | 00h00

Barreiras para o crédito

Fui usuário do Cartão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para médias, pequenas e microempresas e posso dizer que esse serviço é realmente útil. Mas recomendaria aos gestores que verificassem as barreiras que os bancos conveniados impõem a quem busca esse serviço. Assim, se essa facilidade é para valer mesmo, o BNDES deveria deixar de ter intermediários. Se não há capacidade para tal, deveria deixar de iludir quem busca por esse serviço.

PEDRO ANTONIO LOUSA BADRA / SÃO PAULO

O BNDES informa que instituiu o Cartão BNDES como um crédito rotativo pré-aprovado a fim de democratizar o acesso aos recursos do banco por parte das micro, pequenas e médias empresas. Com o mesmo objetivo, criou o portal de operações www.cartaobndes.gov.br para facilitar sua utilização. Mas, por não dispor de uma rede de agências próprias, o BNDES conta com a parceria dos agentes credenciados (Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, Caixa e Itaú são os emissores do Cartão BNDES). Uma empresa pode obter um cartão por banco emissor, podendo acumular até 5 cartões e somar os limites para realizar uma transação. A solicitação do cartão pode ser feita pela internet e o banco recomenda ao máximo a utilização deste meio, onde há uma seção chamada "Dúvidas", com respostas às questões mais frequentes. Há ainda os canais: 0800 7026337 e (21) 2172-6337, que funcionam nos dias úteis, das 8 às 20 horas.

O leitor comenta: A eficácia do cartão realmente é fundamental para o desenvolvimento deste segmento, porém, como está sendo gerido esse serviço, os empresários ficam sujeitos aos gerentes de bancos comerciais.

AEROPORTOS

Vergonha mundial?

Desembarquei no Aeroporto de Guarulhos no dia 28/6 e, ao tentar retirar as bagagens, fui informado pela empresa Air France KLM de que elas não estavam no voo e que seriam entregues em casa após preenchimento de um formulário. Dois dias depois chegaram, mas, ao abrir a que estava fechada com cadeado, vi que me foram furtados vários objetos pessoais e de valor. Entrei em contato com a Air France KLM. O atendente disse que eu deveria preencher um formulário e aguardar a análise para um possível reembolso. Soube, por e-mail, que meu caso seria avaliado em até 7 dias, mas até hoje não recebi retorno. Fui ao Juizado Especial do Aeroporto de Guarulhos e fui orientado a aguardar resposta da empresa e, se necessário, acionar o juizado depois. Decidi denunciar esse absurdo que vem ocorrendo nos aeroportos do Brasil. Vamos passar vergonha mundial em 2014 e em 2016!

BRUNO PAIM MOMI INACIO / SÃO PAULO

A Air France KLM lamenta o ocorrido e informa que, a fim de solucionar o problema, solicita o envio de alguns documentos e informações pela internet ou pelos Correios. São necessários: as Notas Fiscais dos artigos faltantes, os dados bancários e o número do CPF. De acordo com o Guia do Passageiro da Anac, artigos como objetos de valor, frágeis ou perecíveis devem ser transportados em bagagem de mão, desde que suas dimensões e peso o permitam.

O leitor lamenta: O problema não foi solucionado e não tenho a nota fiscal de vários itens, pois foram presentes. Outro problema é que, em contato com a empresa, ninguém sabe de nada sobre o meu caso.

APOSENTADORIA

Atraso e multas

Sou responsável por minha tia de 96 anos, professora do Estado aposentada. Seus proventos, que deveriam ter sido pagos no dia 7/6, não o foram até 14/6! Ao buscar informações na SPPrev, órgão que passou a ser responsável pela folha de pagamento dos aposentados no lugar da Secretaria da Fazenda, este me indicou entrar em contato com a secretaria e vice-versa. Ninguém se propõe a explicar o atraso e a solucionar o caso. Essa senhora mora numa casa de repouso e precisa de cuidados, medicamentos, enfim, tem muitos gastos. Quem vai me indenizar pelas multas por atraso nas contas? Haverá compensação pelos dias de atraso? O que faz o cidadão impotente diante do gigantismo e ineficiência de um Estado inoperante? Estou indignada, chega de negligência!

MARIA DA PENHA NASCIMENTO / SÃO PAULO

A SPPrev esclarece que o pagamento da aposentadoria da leitora sra. Dalva, referente a maio, foi creditado em 14/6. Já o benefício referente ao mês de junho foi creditado no 5º dia útil de julho. Assim, todos os valores devidos à beneficiária estão regularizados.

A leitora indaga: Por causa desse atraso, que continua sem explicação plausível, paguei várias multas. Por que é sempre do lado do cidadão que a corda arrebenta?

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.