São Paulo Reclama

PREJUÍZO EM PROCESSO DE SELEÇÃO

, O Estado de S.Paulo

12 Julho 2011 | 00h00

Sedex devolvido

Após 7 anos desempregada, consegui passar num concurso público no Paraná. Para a prova de títulos, eu deveria entregar os diplomas nos dias 13 e 14/6. Enviei o certificado de graduação e o histórico da pós-graduação por Sedex para a cidade de Colombo, em 10/6. Postei os documentos na Agência Central dos Correios, na Praça do Carmo, para um endereço específico disponível só para recebê-los. O prazo da entrega informado era de dois dias úteis a partir da postagem. Além de os documentos terem sido entregues somente um dia depois do prazo estabelecido, dia 14/6, foram entregues em outro lugar, porque não havia mais ninguém no local destinado. Um crime, pois na correspondência havia documentos autenticados. Perdi a prova de títulos e posso perder a vaga no concurso.

ANA CLAUDIA OLIVEIRA / SÃO PAULO

A Assessoria de Comunicação da Diretoria Regional dos Correios de São Paulo Metropolitana informa que foram realizadas três tentativas de entrega do Sedex entre os dias 15 e 20/6, sem sucesso, motivo pelo qual o objeto foi devolvido ao remetente. Explica que, como a primeira tentativa de entrega ocorreu com atraso, o remetente tem direito à restituição das tarifas postais pagas, por meio de depósito na conta corrente informada pela cliente. Responde que o pagamento estará disponível em 10 dias úteis, a partir de 4/7.

A leitora informou que entrará na Justiça contra os Correios. Apesar de ter conseguido a vaga no concurso, teve classificação inferior, pois não recebeu a nota referente aos títulos, já que os documentos não foram entregues à prefeitura. Por isso, terá de esperar mais tempo para ser chamada para trabalhar.

ESTAÇÃO PINHEIROS

Iluminação ruim e assaltos

Como aumentou o horário de funcionamento da Estação de Metrô Pinheiros, os trabalhadores e moradores da região fizeram um abaixo-assinado para que sejam instalados mais postes de iluminação pública por causa dos assaltos na região.

MARINA ALMENDRO / SÃO PAULO

A Secretaria de Serviços, por meio do Departamento de Iluminação Pública (Ilume), informa que já realizou os devidos reparos nas Ruas Eugênio de Medeiros, Paes Leme, Butantã, Sumidouro, Pascoal Bianco, Amaro Cavalheiro, Capri e Conselheiro Pereira Pinto. Diz ainda que equipes de manutenção substituíram lâmpadas, cabos e eliminaram um mau contato encontrado na rede, no dia 6/7, normalizando a situação da via.

A leitora discorda: Não notei nenhuma diferença. Posso tirar fotos para comprovar a falta de iluminação e, desse modo, de segurança. Os assaltos aumentaram com o fluxo de pessoas que seguem para o metrô.

BUROCRACIA

É difícil ser correto

Estou construindo uma casa em Embu das Artes e há 6 meses peço a instalação de energia elétrica no imóvel. Todas as vezes que vou a uma agência da AES Eletropaulo, é solicitado mais um documento. Na última vez, pediram os croquis das ruas próximas e a conta de energia elétrica de algum vizinho. Além da documentação necessária, pediram licença ambiental, a anuência do município, o cadastro de número oficial na prefeitura, entre outros. Para piorar, alegam que não há registro da rua na concessionária e que o endereço está irregular, pois consta outro local.

ROBERTO MARQUES / EMBU DAS ARTES

A AES Eletropaulo informa que a rua em que o cliente solicita a ligação não possui registro no cadastro da distribuidora. Como o município de Embu possui área de proteção aos mananciais, o cliente deve apresentar carta de anuência com o nome da rua em que deseja a ligação, além dos documentos solicitados em 28/6.

O leitor comenta: A resposta da AES Eletropaulo não é coerente. Apresentei todos os documentos solicitados (planta aprovada pela prefeitura, o projeto, a carta de instalação da concessionária, o IPTU, a escritura do imóvel, a licença ambiental, a anuência da prefeitura para a construção - por se tratar de área de preservação de mananciais -, o comprovante de número oficial emitido pela prefeitura, a conta de luz de um imóvel no endereço, mas irregular). No local há ligações de energia elétrica irregulares e eu, que pretendo fazê-la de forma regular, não consigo.

CRÍTICA E DESCONFIANÇA

Táxis nas faixas de ônibus

Sou contra os táxis usarem a faixa exclusiva para ônibus. Mas recebo com surpresa e desconfiança a informação de que a Prefeitura estuda proibir a circulação deles em tal via. Afinal, o prefeito está em campanha e é pouco provável que irá abrir mão de votos.

MAURO RIBEIRO GAMERO / SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.