São Paulo Reclama

DESCASO COM A PERIFERIA

, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2011 | 00h00

Risco de atropelamento

Há mais de 3 anos, solicito (pelos meios legais) a instalação de lombadas e de sinalização na altura dos números 300 e 400 da Rua Isabel Aguiar de Campos, no Grajaú. Mas até o momento ninguém fez nada. O último pedido foi enviado a um vereador e, mesmo assim, o descaso com os bairros da periferia continua. Gostaria de saber qual é a data em que esse serviço será executado. A cada dia está mais perigoso andar pelo local. Carros e motos trafegam em alta velocidade numa rua residencial. Há rachas nessa via e muitos motociclistas empinam as motos - fazendo um barulho insuportável. Se nada for feito, vou reunir meus vizinhos para interditar a rua na altura dos números em questão ou fazer uma lombada de concreto. Minha família e amigos correm o risco de ser atropelados.

MARCIO RIBEIRO DE OLIVEIRA / SÃO PAULO

A CET informa que o trecho citado da Rua Isabel Aguiar de Campos apresenta declividade superior a 6%, o que inviabiliza a instalação de lombadas regulares. Diz que fez uma vistoria e verificou a existência de três obstáculos redutores de velocidade clandestinos. Explica que dois deles serão removidos, enquanto o terceiro, por estar num trecho onde é possível existir lombada, será reconfigurado e regularizado por um projeto de sinalização específico. A CET providenciará ainda a pintura de faixa dupla amarela na rua.

O leitor alerta: Pintar faixas não vai resolver o problema e retirar as lombadas existentes só piora a situação, além de os moradores não concordarem. Os irresponsáveis não se preocupam com os pedestres, mas, quando chegam perto das lombadas, reduzem a velocidade para preservar seus veículos.

TRANSPORTE PÚBLICO

Abusos e queixas

Diariamente, uso transporte público e muitas das empresas que ganharam a concessão para oferecer esse serviço não estão aptas para assumir tal responsabilidade. Há veículos com som, apesar da proibição; muitos motoristas fumam nas paradas ou dirigindo; há condutores que falam ao celular, enquanto dirigem; e muitos fazem ultrapassagens perigosas. Além disso, os veículos sempre saem lotados. Esses fatos são uma parte do problema, a outra é a falta de fiscalização. Está na hora de as autoridades punirem aqueles que não respeitam nem o contrato assinado nem os passageiros.

ROBERTO O. DE CARVALHO / SÃO PAULO

A SPTrans informa que todas as denúncias que chegam até a gestora pelo telefone 156, pelo www.sptrans.com.br e pela imprensa são apuradas e os responsáveis, punidos de acordo com o Regulamento de Sanções e Multas da SPTrans. Solicita que o leitor sr. Carvalho envie o número dos ônibus onde os problemas ocorrem ou ocorreram, para que o condutor seja identificado. Explica que o motorista poderá ser advertido, suspenso ou mesmo demitido. Todas as empresas participaram de uma licitação em 2003 e foram contratadas por 10 anos para realizar o transporte público de passageiros na capital.

O leitor relata: Os problemas continuam. Os ônibus continuam com o som ligado. Sei que essas empresas passaram por licitações, mas como a SPTrans explica esses abusos? E a falta de resposta desse órgão às queixas? No site Reclame Aqui e no das empresas de ônibus, por exemplo, as reclamações dos usuários não são respondidas. Recentemente, um amigo sofreu um acidente de carro que envolvia um ônibus. Quando ele foi levar o Boletim de Ocorrência e as notas fiscais do prejuízo, descobriu que não havia nenhum registro da reclamação, o que também tinha sido feito à SPTrans e à Prefeitura. Esse órgão deveria fiscalizar e fazer com que as leis fossem cumpridas.

NET

Cobrança indevida

A NET me ofereceu a troca do aparelho receptor de sinal analógico para o digital, com a migração de plano. Respondi que aceitaria, se não houvesse acréscimo na fatura. Resultado: foi feita a migração, mas a NET está cobrando a diferença. Não estou de acordo e quero ouvir a gravação do telefonema em que aceitei a troca de plano, sem acréscimo. Alegam que eu preciso informar o número de protocolo. Porém, eles têm a data e o horário da ligação. Será que não conseguem achá-la?

CLÉCIO MAYRINK / SÃO PAULO

A NET informa que entrou em contato e esclareceu as dúvidas sobre a mensalidade.

O leitor diz: O problema não foi solucionado. As minhas reclamações são ignoradas e foram canceladas na Agência Nacional das Telecomunicações. A empresa alega que não atendi em nenhum dos 3 números que informei. Soube que a NET está fazendo isso com todos que migram de plano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.