São Paulo Reclama

COBRANÇA INDEVIDA

, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2011 | 00h00

Fraude em linha telefônica

Em 25/4 recebi uma notificação extrajudicial da Telefônica sobre uma dívida em meu nome referente a três contas que não tinham sido pagas em 2006. Minha mulher entrou em contato com o SAC da empresa, pois não possuo e nunca tive linha telefônica. Informaram que alguém havia feito uma assinatura usando o meu CPF e RG em 2005 e que a linha fora extinta em 2007, pois três faturas não foram pagas. Minha esposa informou à atendente do setor de fraudes que alguém usou indevidamente o meu CPF. A funcionária respondeu que a dívida deveria ser paga, pois meu nome seria inserido no cadastro do SPC, se eu não o fizesse. Minha mulher insistiu e ela a questionou se estava falando a verdade. Quando respondeu que iríamos processar a Telefônica pela cobrança e pelo uso indevido de dados, a atendente repetiu que não podia fazer nada.

FLÁVIO ROSA PERRECHI / SÃO PAULO

A Telefônica informa que a situação mencionada pelo sr. Perechi foi regularizada, sem ônus financeiros para o cliente. Diz que entrou em contato para esclarecer e lamentar pelos transtornos causados.

O leitor discorda: Paguei a dívida, pois meu nome estava na Serasa. Segundo um funcionário da Telefônica, o valor gasto está disponível no Banco do Brasil, mas não poderia ser depositado em minha conta. Como trabalho numa UTI, não tenho tempo para ir ao banco sacar o valor. Mais um transtorno que terei de resolver, em vez de a Telefônica, responsável por toda essa confusão. Por que o problema foi solucionado só depois da interferência do jornal? Por que a Telefônica trata tão mal os consumidores?

SABESP

Desperdício de água

Desde janeiro um vazamento de água nas tubulações da Sabesp vem causando danos na Rua Gonçalo Aldano, Vila Homero, no bairro do Jaraguá, destruindo o asfalto. Por diversas vezes liguei para a Sabesp. Em uma delas, um técnico informou que a concessionária sabia do problema, que era de difícil solução e que a água desperdiçada era limpa e de boa qualidade. Enquanto nada é feito, verdadeiros buracos se formam nessa rua e na Av. Chica Luísa.

LUIZ INACIO PRADO E SOUSA / SÃO PAULO

A Sabesp não respondeu.

O leitor relata: Infelizmente o problema continua. A água destruiu parte da Avenida Chica Luiza, obrigando os motoristas a andar na contramão. No dia 4/6 a Prefeitura tentou, em vão, consertar a via, mas a quantidade de água que vazava era enorme. A Sabesp pede economia à população, mas não age dessa forma.

DIREÇÃO PERIGOSA

Descontrole no trânsito

No dia 13/5, por volta das 21 horas, na altura do 4.500 da Av. Giovanni Gronchi, sentido centro, quase fui vítima de acidente no trânsito por ação do motorista ensandecido que guiava o micro-ônibus de prefixo 86342 - Linha 746M/10. Eu trafegava no limite de velocidade da via, pela faixa da direita, e o motorista apareceu atrás de meu veículo e quase encostou o coletivo no para-choque de meu Fiesta, buzinando estrondosamente e acelerando. Ele queria me "jogar" para fora da faixa da direita em que eu seguia. Logo em seguida, ao frear meu veículo para a manobra de outro que seguia em minha frente, o motorista do micro-ônibus jogou violentamente o coletivo para a esquerda, parou ao lado da minha porta, encarando-me para mostrar o quanto era valente. Ainda bem que não houve nenhuma violência física. Fiquei impressionado com o desequilíbrio daquele motorista, nitidamente descontrolado, que numa fração de segundos pôs vidas inocentes em perigo. Acredito que a selvageria não deve ter parado por aí. Por isso espero que a SPTrans confira uma punição exemplar ao motorista do micro-ônibus.

LUÍS CLÁUDIO KAKAZU / SÃO PAULO

A SPTrans não respondeu.

O leitor lamenta: Não recebi nenhuma resposta da SPTrans.

AVENIDA NO ESCURO

Descaso do Ilume

Meu sogro mora na Avenida Pastor Cícero Canuto de Lima e a maior parte das lâmpadas dos postes perto da residência dele está queimada. Apesar de eu já ter protocolado várias reclamações na Prefeitura, corroboradas por minha cunhada, essa avenida continua no escuro. No final de maio prometi a ele recorrer ao jornal.

RENATO CAMARGO / SÃO PAULO

O Departamento de Iluminação Pública (Ilume) não respondeu.

O leitor revela: Nada mudou. O descaso é enorme.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.