São Paulo Reclama

VALORES DE RENDIMENTOS

, O Estado de S.Paulo

17 Maio 2011 | 00h00

Cálculo questionado

Trabalhei nas décadas de 70 e 80 com carteira assinada e direito ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). As empresas para as quais trabalhei depositaram o FGTS em contas vinculadas a mim. Nas rescisões de contratos, entregaram-me a documentação para saque do FGTS e rendimentos aos quais eu tinha direito. Efetuei-os de acordo com os cálculos da Caixa Econômica Federal (CEF). Mas agora percebi que a CEF fez os cálculos de forma incorreta, não computou a totalidade dos valores dos rendimentos (correção) devidos na época. Tais rendimentos (sobre o saldo não sacado) foram acrescidos de rendimentos irrisórios (3% ao ano). Em 3/5, saquei o saldo existente (um pouco mais de R$ 400, que poderia valer, pelo menos, 20 vezes mais). Um funcionário da CEF disse que havia milhares de pessoas na mesma situação. Não seria honesto que a CEF comunicasse tal fato aos donos das contas? E será que a Receita Federal vai me autuar por não ter declarado um direito que eu desconhecia existir (saldo em conta do FGTS que não me foi informado pela CEF)?

LUIZ CARLOS LOCATELLI / MARÍLIA

A Caixa Econômica Federal Regional Bauru informa que a progressividade de taxas de juros é disciplinada pela Lei 8.036/90. Considerando que as informações prestadas não permitem análise conclusiva quanto ao deferimento ou não de eventual revisão da correção prevista para a conta vinculada do FGTS, solicita ao leitor que se dirija a uma unidade da CEF munido dos documentos de identificação e comprobatórios dos vínculos empregatícios para avaliação. A prescrição de créditos do FGTS é de 30 anos, não havendo manifestação quanto a períodos que excedam esse prazo.

INSS

Auxílio-doença negado

Apesar de 3 laudos atestando minha incapacidade para trabalhar, meu auxílio-doença foi indeferido em 4/4. Tenho neurofibromatose, osteopenia, espondilose e depressão. Uso bengala e cinta para caminhar e tala na mão direita, pois operei o punho. Tomo remédios de uso controlado e uso morfina para abrandar as dores que sinto. Terei de vegetar na cama para comprovar a minha incapacidade laboral? Os médicos peritos nem olham os exames, fazem perguntas de cunho pessoal, além de passar por cima de laudos de especialistas.

ELIANA PATERNO / SÃO PAULO

O INSS não respondeu.

A leitora revela: O problema não foi solucionado.

NOITES MAL DORMIDAS

Vizinho barulhento

Moro em frente ao Hotel InterContinental, na Alameda Jaú, Jardim Paulista. Há mais de um ano, todas as noites, é feita a retirada do lixo e de caçambas do hotel. O 1.º caminhão chega entre 23 horas e meia-noite e o 2.º, depois das 3 horas. Eles permanecem no local de 40 minutos a 1 hora. Para piorar, os funcionários gritam. Acordamos assustados e não conseguimos voltar a dormir. Já enviamos várias queixas ao hotel, até mesmo um abaixo-assinado pedindo que respeitem os horários de descanso. Nada muda e o hotel responde que a responsabilidade é da empresa que presta o serviço. Já fizemos denúncias à Prefeitura e à Polícia, sem solução. Enquanto os vizinhos dormem com as janelas abertas por causa do calor, os hóspedes dormem em quartos confortáveis com ar-condicionado e janelas antirruído - sem tomar conhecimento do barulho na garagem.

MÁRCIA DE FÁTIMA PARON / SÃO PAULO

O Hotel InterContinental São Paulo esclarece que os serviços de coleta de lixo e remoção de caçambas de entulhos são executados por empresas regularmente constituídas, cadastradas na Prefeitura e sobre as quais não possui nenhum poder de gerência. Os veículos utilizados só podem circular em determinados horários dentro do chamado centro expandido por causa da proibição da Prefeitura. Lamenta quaisquer incidentes ocorridos e diz que vai reiterar com os prestadores de serviços que evitem ruídos desnecessários.

A leitora lamenta: O barulho piora a cada dia.

TRISTE RETRATO

Cidade abandonada

Nunca vi a cidade tão abandonada! Mato, buracos, sujeira por todos lados, obras faraônicas e malfeitas. O que dizer da Ponte Estaiada, novo cartão-postal da cidade? Um projeto caríssimo, que só oferece duas pistas de rolagem e tem piso tão irregular que quase faz cair as obturações dos dentes. Mais adiante, entre as Pontes do Socorro e Jurubatuba, não há sinalização horizontal! Os contribuintes continuam desrespeitados!

PETER CHRISTIAN STEINHOFF / SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.