São Paulo Reclama

CRIMES NO ALTO DE PINHEIROS

, O Estado de S.Paulo

06 de maio de 2011 | 00h00

Segurança ineficaz

Estou indignada com a falta de assistência das Polícias Militar (PM) e Civil, como também da Secretaria da Segurança Pública. Minha mãe mora na Rua Sebastião Rodrigues, no Alto de Pinheiros, a três quadras da Escola Vera Cruz. Em 2 anos minha família sofreu 4 vezes com a criminalidade da região. Um dia arrombaram o portão e furtaram uma bicicleta, depois furtaram o carro de minha mãe estacionado em frente de sua residência, já fui sequestrada em frente de casa e, agora, em 18/4, o carro do meu irmão foi arrombado e levaram o aparelho de som. Os vizinhos já relataram outros casos de assaltos e furtos ocorridos nessa mesma rua. Já fiz Boletim de Ocorrência (B.O.) e entrei em contato com a Secretaria da Segurança Pública, em vão. Tentei mobilizar os vizinhos para contratarmos um guarda particular, mas eles não concordaram, pois acreditam que eles podem fornecer informações para esses furtos.

JOANA MEIRELLES GIANNELLA / SÃO PAULO

Rodrigo Maciel Antonio Dias, capitão da PM e chefe da Seção de Comunicação Social do 23º BPM/M, informa que entrou em contato com a sra. Joana, em 29/4, e que ela solicitou intensificação do policiamento na rua citada. Após consulta ao Infocrim, no período de 9/1/2009 a 28/4/2011, verificou o registro de 15 B.O.s pela Polícia Civil referentes à rua citada, sendo 2 casos de roubo e os demais de menor gravidade. Informa que a 1ª Cia da PM, responsável pelo policiamento preventivo do local, foi avisada sobre o último fato ocorrido para tomar providências quanto à solicitação.

A leitora confirma: A PM entrou em contato, mas não sei se o problema será solucionado.

TECNOLOGIA PRECÁRIA

Serviços da Telefônica

Desde janeiro a nossa linha de telefone com a Telefônica vem apresentando o mesmo defeito, a ligação cai. Raramente conseguimos fazer ou receber uma chamada completa. Inúmeras vezes fizemos reclamações e a resposta é sempre a mesma, de que em até 72 horas um técnico virá averiguar o defeito. Mas nunca apareceu ninguém. No dia 23/3, fiz uma reclamação no site da Ouvidoria da empresa e a resposta foi: "O número da sua reclamação é... (em branco)". Deixamos a página da Telefônica aberta durante várias horas e o número não apareceu.

OLIVIA MALAGOLA / SÃO MIGUEL ARCANJO

A Telefônica informa que, após ajustes técnicos, a linha da sra. Olivia está funcionando normalmente. A empresa informa ainda que a cliente terá crédito em conta telefônica, com vencimento em 12/6, do valor correspondente ao período em que o serviço apresentou problema. Para outros esclarecimentos, os clientes devem entrar em contato com a Central de Atendimento, pelo 10315 (ligação gratuita). O serviço funciona 24 horas, nos 7 dias da semana.

A leitora desmente: A Telefônica venceu. No dia 3/5 após não conseguir completar as ligações telefônicas decidimos pedir o cancelamento da linha. Na semana passada, dois funcionários da Telefônica entraram em contato conosco para dizer que um técnico localizou o defeito numa torre da cidade. Perguntaram se o telefone estava funcionando normalmente, ao que informei que somente saberíamos ao longo do tempo, porque o problema aparece em 70% das ligações. E o defeito reapareceu. É um grande transtorno, pois se trata de uma propriedade rural e o único meio de comunicação era pelo acesso remoto sem fio da Telefônica. Vamos ter de absorver mais esse prejuízo.

INDIGNAÇÃO COM O BB

Fim de atendimento online

O Banco do Brasil (BB) desde meados de abril suspendeu qualquer tipo de comunicação virtual com a agência, além dos serviços de contato pelo home banking. Em conversa com o suporte técnico, informaram ser falha momentânea e disseram para eu entrar em contato com a agência por telefone ou comparecer pessoalmente. Fico surpreso com a ineficiência do banco quanto a seus canais de comunicação, a falta de respeito com os clientes e a arrogância de seus atendentes, que acreditam que nada precisa ser melhorado.

WALTER EUGENIO TABACNIKS / SÃO PAULO

A Assessoria de Imprensa do

Banco do Brasil informa que a agência de relacionamento do sr. Tabacniks entrou em contato com ele, esclarecendo sobre os canais de atendimento do banco.

Ressalta que o serviço "Fale com o BB", prestado via internet, está desativado desde 29/3.

O leitor lamenta: Em pleno século 21 é absurdo um banco desativar o serviço de comunicação via internet com a agência para restaurar o sistema "telefônico" de contato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.