São Paulo Reclama

APÓS OBRA PARA REDE DE GÁS, BURACOS APARECERAM

, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2011 | 00h00

Rua "oca" em Pirituba

Na Rua Águas Claras, em Pirituba, foi feita a passagem da tubulação para o fornecimento de gás encanado. Desde então os moradores do primeiro quarteirão da rua estão preocupados, pois a base das calçadas não foi preenchida com o material necessário, ficando oca, abrindo muitos buracos. Já houve dois acidentes. Duas pessoas, quando estavam caminhando pela rua, caíram nesses buracos, abertos no momento em que elas passavam, e tiveram ferimentos leves. Com os dias de chuva, os moradores têm medo de que as casas ou as calçadas afundem. Vários moradores registraram reclamações na Comgás, mas nada foi feito até hoje. A empresa sempre pede um prazo de 10 dias, ele se esgota e nada muda. Liguei novamente para fazer outra queixa e, de novo o prazo foi descumprido. Aliás, desde a minha primeira reclamação, em 12/1, não obtive resposta da concessionária. Em 22/2 entrei em contato de novo com a Ouvidoria, que deu um prazo de 10 dias para enviar resposta. Estão esperando um desastre maior para então fazer algo?

REGINA CANELLAS / SÃO PAULO

A Comgás informa que, quando a reclamação foi registrada, enviou uma equipe ao endereço citado e não identificou valas abertas de responsabilidade da empresa.

A leitora discorda: A Comgás alega que as valas não são de sua responsabilidade, e a Prefeitura alega o mesmo. Os buracos foram fechados, mas o problema continua. A parede da sala de uma das moradoras caiu num dia de chuva. Engenheiros da Prefeitura constataram que a rua está toda oca por culpa da Comgás e também pelo desgaste ocorrido com o tempo.

GUARUJÁ

Crateras pela orla da praia

Eu gostaria de saber em que a prefeitura do Guarujá gasta o dinheiro arrecadado com o IPTU (caríssimo) pago pelos contribuintes. A situação do calçadão da Praia da Enseada é inadmissível. Da Rua Atlântica até a Rua Acre não é possível caminhar. Falta um pedaço do calçadão, há buracos enormes, inúmeros bueiros com tampas soltas ou sem elas. A areia tomou conta de toda a parte de dentro do calçadão. E o jardim central? Ninguém consegue andar 100 metros sem deparar com algumas crateras no chão. Aqueles que têm dificuldades de locomoção não conseguem passear pela orla da praia. Há trechos em que o calçadão cedeu. Sem contar que as demais vias também estão esburacadas, entre elas, a Rua Noé de Azevedo. Jamais presenciei tamanha degradação e espero que a prefeitura faça a sua parte, pois os contribuintes estão cumprindo com as suas obrigações.

PATRÍCIA B. BRUNIERI / SÃO PAULO

TRÂNSITO - UM DESABAFO Motociclista há 36 anos

Sou motociclista há 36 anos e já andei e ando nas estradas praticamente de todo o Brasil e, pela minha experiência, afirmo que falta educação por parte dos motociclistas e fiscalização e punição das autoridades. Ninguém respeita as leis de trânsito. Na cidade, os motoboys trafegam até pelas calçadas. Na motovia da Rua Vergueiro, a velocidade máxima permitida é de 60 km/h, mas, se você respeitá-la, é xingado e até agredido pelos motoboys. Já presenciei dois acidentes nessa via. Nesses 36 anos trafegando de carro ou de moto, só 4 vezes meus documentos foram verificados por comandos. Os veículos chamados utilitários esportivos andam acima da velocidade permitida, ultrapassam pelos acostamentos e não são multados, pois têm detectores de radar. As câmeras colocadas nas ruas e nas estradas servem só para documentar, e não para prevenir acidentes. Enquanto faltar fiscalização, continuarão os acidentes e os assaltos no trânsito.

DINO BENAZZI / SÃO PAULO

NET FONE

Mentiras ou confusão?

Há 2 anos sou assinante da TV a cabo NET e recentemente assinei o NET Fone. Por esse motivo, desde dezembro estou sem telefone. A cada ligação para a empresa, a resposta é diferente. Em pelo menos duas delas, a NET disse que eu havia cancelado o serviço. No início de abril um técnico esteve em casa e garantiu que em 5 dias úteis o telefone funcionaria. O prazo passou e, ao ligar no dia 18/4, a empresa informou que o serviço tinha sido cancelado.

CAROLINA F. ROCHA F. NOVAES / SÃO PAULO

A NET informa que entrou em contato com a cliente e esclareceu que a linha telefônica citada pertence a outra operadora.

A leitora desmente: No mesmo dia, ao contatar a outra operadora, fui informada de que a portabilidade estava disponível há meses para que a NET pudesse fazer a alteração. No dia 25/4 uma funcionária ligou e disse que em 48 horas o telefone funcionaria, outra mentira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.