São Paulo Reclama

ACESSO LIMITADO AO SITE DA TAM

, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2011 | 00h00

Na contramão da cidadania

O site da TAM não é acessível para deficientes visuais. Outras companhias já melhoraram a acessibilidade em seus sites. Por isso, faço uma campanha nos sites de redes sociais e enviei essa reclamação para denunciar esse problema. O preconceito e a discriminação contra os cegos são tão grandes que a empresa respondeu que os deficientes visuais deveriam pedir ajuda a um familiar com quem moram. Dessa maneira, o cego tem de dar os seus dados pessoais, como número de cartão de crédito e senha, para outras pessoas. Entretanto, essas informações são de uso pessoal e sigilosas. Ora, por que a TAM imagina que um deficiente visual mora obrigatoriamente com algum familiar? Além disso, se eu for pedir ajuda a quem mora comigo, por exemplo, não vai resolver muito, já que moro com minha esposa, que também é cega.

MARCOS ANDRÉ LEANDRO / SÃO PAULO

A TAM, por meio do Fale com o Presidente, serviço de atendimento ao cliente, responde que entrou em contato por e-mail com o sr. Leandro para esclarecer que a companhia está ciente da necessidade de adaptar o seu site com facilidades de acesso aos portadores de deficiência visual. Esclarece que o departamento responsável estuda as alternativas possíveis.

O leitor lamenta: Infelizmente, o problema não foi solucionado. A mensagem enviada pela TAM Linhas Aéreas não passa de uma mensagem automática e padrão, que responde que o site é inacessível. Ora, foi exatamente sobre isso que eu reclamei. A empresa não precisava enviar um e-mail automático dizendo o que eu já sei, não é verdade?

TELEFONE MUDO

Solução após quase 1 mês

Desde o dia 26/3 minha mãe solicita à Telefônica o reparo da sua linha, pois um caminhão arrebentou o cabo localizado em frente a sua casa. Ela já registrou várias queixas, mas o telefone continua mudo. A linha é essencial, pois na casa vive um casal de idosos com doenças crônicas. A Telefônica envia a conta, mas não um técnico para consertar o problema.

RICARDO DA SILVA CORTEZ / SÃO PAULO

A Telefônica informa que, após ajustes técnicos, a linha da sra. Alcenira, mãe do sr. Cortez, está funcionando normalmente. Esclarece que a cliente terá crédito na conta, que vence em 9/5, do valor correspondente ao período em que o serviço apresentou problema. Diz que entrou em contato com o cliente para prestar os esclarecimentos necessários, lamenta e pede desculpas pelos transtornos causados.

O leitor diz: Primeiro, o serviço foi efetuado parcialmente, pois a linha telefônica somente fazia ligações, mas não recebia. Só no dia 21/4 o problema foi solucionado.

CASA ROUBADA

Nada do seguro

Minha casa foi roubada em 1.º/11/2010 e tentei acionar o seguro residencial que tenho da Caixa Econômica Federal. Mas, por causa da dificuldade em obter alguns documentos, dentre os quais a 2.ª via de notas fiscais de produtos adquiridos, encaminhei a documentação à Caixa apenas em 10/1 pelos Correios. Entretanto, desde fevereiro não obtenho retorno dos diversos protocolos de atendimento que abri sobre a solução do problema. Em apenas um deles, no final de março ou começo de abril, após muito reclamar na Ouvidoria, fui informado de que minha documentação não havia chegado. Iniciei nova jornada de reclamações, porém, como era de esperar, sem êxito. Apenas informaram que o caso está sob análise. Como mandei todos os documentos originais, sinto-me com as mãos atadas e não sei mais a quem recorrer. Pedi para comparecer pessoalmente para conversar diretamente com os responsáveis, mas apenas consigo falar com atendentes que servem como meras digitadoras de nossas reclamações e sempre informam no gerúndio: "Estamos transmitindo suas reclamações ao setor responsável e solicitamos que retorne daqui a 48 horas para verificar o andamento do caso".

RONALDO ARACRI / SÃO PAULO

A Caixa Seguros informa que entrou em contato com o sr. Aracri para solicitar a documentação necessária para dar andamento no processo de sinistro. Após a análise dos documentos, a seguradora constatou a existência da cobertura. Portanto, a Caixa Seguros efetuará a liberação da indenização até o dia 25/4.

O leitor desmente: Só entraram em contato depois de eu enviar a reclamação ao jornal. Infelizmente, o consumidor, por si só, não possui voz ativa. Ao contrário do que a Caixa disse, o valor não foi creditado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.