São Paulo reclama

PREJUÍZO COM OS CORREIOS

, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2011 | 00h00

Quadro danificado

Sou artista plástico e o meu trabalho foi selecionado para ser participar do anuário International Contemporary Masters IV, em Los Angeles, nos Estados Unidos. Em 2/3 enviei pelos Correios 3 quadros, inclusive o que será a capa do anuário, embrulhados entre madeiras, documentados com fotos e com uma carta autorizando a saída deles. Eles fariam parte da exposição do lançamento oficial do anuário em Las Vegas, no South Museum of Fina Art, em Nevada. No dia 26/3, pesquisei o histórico do objeto e constatei contradições no sistema dos Correios, pois consta que, em 2/3, o Sedex foi postado em Natal; em 18/8 estava em São Paulo para fiscalização; em 21/3, em trânsito para os Estados Unidos; e, em 25/3, em São Paulo para outra fiscalização. Não sei o que fazer, pois o quadro principal da exposição ainda não chegou, após ter sido postado há 23 dias. E o prazo dado pelos Correios era de 5 dias.

ERMINIO SOUZA / NATAL

A Diretoria Regional dos Correios de São Paulo Metropolitana informa que, após análise da fiscalização alfandegária, o objeto foi expedido aos Estados Unidos em 21/3, sendo entregue ao destinatário em 29/3.

O leitor revela: O problema foi solucionado. Infelizmente, o quadro da capa do anuário foi furado. Inclusive, recebi uma nota do museu informando o estrago. Detalhe: o quadro estava protegido por madeiras. Entrei com um pedido de reparação nos Correios e, segundo essa empresa, a agência em Natal já deveria ter me ressarcido com a quantia referente ao valor do seguro que eu paguei. Mas ainda nada foi feito.

ÁRVORES CORTADAS

Menos verde em Perdizes

Desde o ano passado, muitas árvores em Perdizes foram derrubadas, inclusive algumas que estavam sadias. Cortaram uma imensa sibipiruna que ficava na Rua Bartira, entre a Avenida Sumaré e a Rua Campevas. Em 22/3, cortaram a copa de uma árvore localizada também na Rua Campevas, na altura no número 132. Nenhuma folha sobrou e ainda retiraram o meio-fio e parte da calçada onde ela ficava. Ela estava sadia e era meio torta há pelo menos 30 anos. Moro na rua desde 1981 e havia uma colmeia de abelhas jataí nessa árvore.

UÉLITON OLIVEIRA / SÃO PAULO

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras esclarece que o Programa Identidade Verde tem o objetivo de cadastrar todas as árvores da cidade, promover um minucioso diagnóstico e, quando necessário, realizar intervenções que podem variar de uma simples poda ou reforma de um canteiro, até a remoção ou transplante de uma árvore. Todas as árvores manejadas tiveram o diagnóstico feito por engenheiros agrônomo ou florestal. Esclarece que algumas árvores parecem sadias, mas apresentam riscos que, para uma pessoa sem conhecimentos técnicos, não são visíveis. Um ninho de jataí na árvore indica que seu interior está oco, o que, dependendo das dimensões, pode comprometer a estabilidade da árvore. Responde que foram plantadas 183 mudas em substituição às árvores removidas e, ao final dos trabalhos, haverá um acréscimo de quase 52% na arborização da área. Não houve nenhum registro de remoção de árvores sadias ou sem antes ter ocorrido uma avaliação técnica. Diz que um dos fatores para a queda de árvores é a limitação dos espaços nos canteiros para o desenvolvimento das raízes e, para evitar esse problema, a população deve entrar em contato com a subprefeitura local para receber a orientação necessária sobre o plantio e a construção do canteiro.

O leitor afirma: A resposta é esclarecedora, mas não convincente. Com certeza não irão plantar outra árvore no local, pois cimentaram o espaço.

TELEFÔNICA

Problema recorrente

A Telefônica presta um péssimo serviço em Araçariguama, a cerca de 50 quilômetros de São Paulo e onde tenho uma empresa. No mês passado, ficamos 3 dias sem telefone. O problema ocorre em todo o distrito industrial. A Anatel não faz nada e não há opção, pois a Telefônica monopoliza o serviço.

FRANKSINEI SANCHES/ ARAÇARIGUAMA

A Telefônica informa que não há nenhum problema generalizado no local citado pelo sr. Sanches. Responde que o caso específico já foi solucionado e o cliente terá crédito, nas contas de abril e maio, do valor correspondente ao período em que o serviço apresentou problemas. Diz ainda que entrou em contato com o cliente para prestar esclarecimentos.

O leitor responde: A princípio foi solucionado, agora é esperar que a situação melhore. Não procede a alegação de que o problema seja pontual, pois outros empresários da região sofrem as mesmas dificuldades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.