São Paulo reclama

Débito automático indevido

, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2011 | 00h00

Desde março de 2010 minha conta corrente no Banco do Brasil está inativa. No dia 16/3, recebi um telefonema da instituição dizendo que eu tinha um débito de cerca de R$ 600. Soube que a dívida era proveniente de débitos automáticos feitos pela SKY nos valores de R$ 246,90 (14/9/10), R$ 124,57 (16/11/10), R$ 86,33 (14/12/10), R$ 210,90 (14/1/11), R$ 215,12 (14/2/11) e

R$ 210,90 (14/3/11). Para os valores de setembro e novembro de 2010 a conta corrente tinha fundos, mas não para as demais. Nunca tive nenhuma relação contratual com a SKY. Os débitos automáticos indevidos, acrescidos de juros bancários, acarretaram na superação do meu limite de crédito. Em razão disso, estou na iminência de ser negativada. O banco não sabe informar se foi algum funcionário ou a SKY que autorizou o débito e alega que tenho de resolver a questão diretamente com a SKY.

CAMILA GALVÃO TOURINHO / SÃO PAULO

O Banco do Brasil informa que tomou as devidas providências para que o nome da cliente não seja incluído nos órgãos de proteção ao crédito, até que a questão seja solucionada. Diz que a leitora reconheceu que não havia encerrado a conta e o limite do cheque especial.

A gerente de relações de consumo da SKY, Blandina Silva, informa que um funcionário da empresa entrou em contato com a sra. Camila em 28/3. Esclarece que a SKY fez um acordo com a cliente.

A leitora explica: A SKY constatou a fraude. Disse que vai realizar a devolução dos valores indevidamente debitados em dobro nos próximos 10 dias. Estou aguardando.

SITUAÇÃO CAÓTICA

Correios de Indaiatuba

Os Correios estão operando de maneira completamente precária em Indaiatuba. Por falta de funcionários, as correspondências chegam sempre com atraso e, frequentemente, as cobranças vêm vencidas. O problema, que ocorria apenas em alguns bairros da cidade, agora está generalizado. Por isso solicito uma rápida ação nos Correios do município, de modo a garantir que o serviço volte a operar normalmente. Para isso, alguns moradores estão fazendo um abaixo-assinado, que será enviado ao Ministério das Comunicações para que interceda nesse caso.

BRUNO GANEM / INDAIATUBA

A Diretoria Regional dos Correios de São Paulo Metropolitana esclarece que os Correios mantêm a distribuição domiciliar sistemática em Indaiatuba. Com relação aos eventuais atrasos ocorridos na distribuição, responde que os Correios adotaram medidas para minimizar os transtornos à população, como a realização de serviços extraordinários, inclusive aos finais de semana, agilização da aquisição de equipamentos, que melhoram o tratamento da carga, realocação de pessoal e ainda estão apressando a contratação de trabalhadores temporários.

O leitor desabafa: Infelizmente, o problema ainda não foi solucionado. A situação dos Correios em Indaiatuba está na mesma.

RODOANEL

Pista perigosa

No Rodoanel Mário Covas, entre os quilômetros 9 e 10, sentido Rodovias Anhanguera e Castelo Branco, na segunda faixa de rolagem, há um degrau no sentido longitudinal da pista, originado por um serviço de fresagem da pista não concluído ou muito malfeito. Os carros que passam por ele perdem a estabilidade momentaneamente. Peço que a concessionária faça com urgência o reparo. Afinal, já basta a pista ser de concreto e não oferecer a mesma aderência que a de asfalto, como também tem uma drenagem péssima. Esse problema ocorre há meses. Será que ninguém da CCR Rodoanel passa por lá? Ou será que precisam fazer um reajuste no valor do pedágio para fazer esse reparo?

CARLOS CESAR DE ALMEIDA / SÃO PAULO

A área de Engenharia da concessionária CCR Rodoanel entrou em contato com o leitor sr. Almeida e explicou toda a metodologia aplicada em obras de recuperação do pavimento. Ressalta que esse processo é constituído de várias etapas, inclusive com um plano de ocupação da rodovia a fim de evitar transtornos aos usuários.

O leitor diz: Em fevereiro, um engenheiro da CCR ligou e explicou que o Rodoanel está em fase de pavimentação dos trechos em concreto e que a execução do trabalho leva um certo tempo. Mas até hoje a CCR só fez promessas. Desde a minha queixa, feita pela 1.ª vez no ano passado, nada foi feito para resolver o problema dos degraus na pista. Outro fato que denunciei e continua são os abusos praticados pelos caminhões, pois não há fiscalização.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.