São Paulo Reclama

EMBRATEL NÃO ENTREGA APARELHO COM LINHA

, O Estado de S.Paulo

22 Março 2011 | 00h00

Três meses sem telefone

Em 30/12/2010 comprei uma linha telefônica e um aparelho da Embratel. Em 10/1 paguei o boleto referente a essa compra e esperei os 15 dias úteis para receber o aparelho, mas até o momento ele não foi entregue. Em 24/1, entrei em contato com a Embratel e justificaram que a demora foi porque o endereço de instalação estava errado. Deram-me mais 15 dias úteis, mas de novo não fizeram a entrega. Em 10/2, telefonei e o atendente garantiu que eu receberia o aparelho em até 5 dias úteis, o que não ocorreu. Em 25/2, liguei para a Embratel reclamando e descobri que eles não alteraram o endereço, pois ele continuava registrado com o número de minha casa errado. No dia 7/3, telefonei novamente para a empresa e a funcionária confirmou que o endereço estava errado e, por isso, a transportadora não entregou o produto. Novamente, foi dito que eu deveria esperar mais 5 dias úteis. Não aceitei essa desculpa. Pedi para falar com o supervisor e ele alegou que esse era o procedimento da empresa. Registrei uma queixa na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

MARCOS DE MOURA LOPES / SÃO PAULO

O Atendimento Livre da Embratel informa que a entrega do kit Livre já foi remarcada em data combinada com o leitor sr. Lopes. A área responsável deu prioridade na entrega do aparelho.

O leitor reclama: Até o momento o problema não foi solucionado. A empresa prometeu entregar o aparelho no dia 18/3, mas não o fez. Mas isso é praxe da Embratel, pois em outras vezes ela marcou uma data para a entrega e não cumpriu com o que fora combinado.

TELEFÔNICA

Oferece gato por lebre

Minha mãe, de 75 anos, tinha um plano básico da Telefônica até um operador de call center convencê-la a comprar outro plano, dizendo que ela iria economizar. Agora ela gasta o dobro, pois tem o serviço de internet, mesmo sem possuir computador, e, para piorar, desde o ano passado não consigo cancelá-lo, pois a ligação sempre cai e ninguém retorna. No dia 7/3 liguei 5 vezes para a Telefônica, em vão. Toda vez que conseguia explicar a situação, era transferido para outra área e no momento da finalização da operação a ligação caía. A piada de tudo isso é que sempre que a ligação ia cair, a operadora pedia um celular de contato para retornar, caso a ligação caísse. Estou esperando até hoje.

MARCO A. T. PALLINI / SANTO ANTONIO DO JARDIM

A Telefônica informa que fez a migração da linha da sra. Iracy para o plano desejado e haverá um crédito na conta com vencimento em 6/4.

O leitor comenta: A Telefônica entrou em contato e prometeu mudar o plano da minha mãe para o original e ressarcir a diferença. Aguardarei a fatura do mês de abril para confirmar se o caso foi solucionado.

PÉSSIMO ATENDIMENTO

Infortúnios de viajantes

Meu namorado e eu fomos para Buenos Aires pela TAM no carnaval. Na ida, o voo atrasou 2 horas. Apesar de termos comprado passagens com antecedência para sentarmos juntos, nossos assentos ficavam em fileiras diferentes. Pedi uma manta, mas não tinham. As rádios e a televisão não funcionavam. Só havia frango para jantar, pois a carne acabara. E, para terminar, a aterrissagem foi turbulenta. Já o voo de volta estava marcado para 12h15 e foi remarcado para 9h10. Por isso perdemos a manhã. Para piorar, novamente viajamos em poltronas separadas. Novamente não havia nenhuma para os passageiros e os fones de ouvido também não funcionavam.

VERÔNICA ZEIGER / SÃO PAULO

A TAM informa que o atraso do voo JJ 8008 (São Paulo / Buenos Aires), de 4/3, foi causado por imprevistos operacionais e pela demora na chegada da aeronave que assumiria o voo. Explica que esse tipo de demora pode ocorrer por problemas meteorológicos, imprevistos técnicos ou por causa de tráfego aéreo intenso. Diz que verificou que a reserva dos bilhetes feita pela agência de viagens dos clientes não possuía pré-reserva de assentos para o trecho de ida. Esclarece que embarca quantidades iguais de cada uma das opções de refeição e levará os comentários da leitora para a gerência responsável. Pede desculpas pela falha no sistema de entretenimento e diz que já entrou em contato com o fabricante para que tais falhas sejam evitadas. Acrescenta que o voo de volta sempre esteve confirmado para as 9h10 e sugere que a sra. Verônica entre em contato com a agência emissora dos bilhetes.

A leitora diz: Na resposta, a TAM se esquivou ao jogar a culpa nos fornecedores, no aeroporto e no clima.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.