São Paulo Reclama

HOSPITAL DAS CLÍNICAS

, O Estado de S.Paulo

18 Março 2011 | 00h00

Faltam medicamentos

Minha filha sofreu uma cirurgia de transplante de rim no Hospital das Clínicas de São Paulo, após 2 anos fazendo hemodiálise. Ficou 5 dias internada e recebeu alta. Ao tentar retirar os medicamentos de que ela necessita na farmácia do hospital, após 3 horas de espera, soube que o remédio mais importante para o tratamento estava em falta. Ora, se ela não tomá-lo, pode sofrer uma rejeição ao órgão e perder o rim. Uma caixa desse medicamento com 10 comprimidos custa R$ 100 e ela tem de tomar 9 por dia.

ELIANA D. AVILA ISOLA / SANTOS

A Secretaria Estadual de Saúde informa que a falta do medicamento em questão foi pontual e momentânea por causa do aumento de demanda. Esclarece que a compra de novo lote já havia sido concluída e aguarda o seu recebimento. Diz ainda que, em 3/3, foi realizada a entrega do medicamento na residência da sra. Eliana.

A leitora revela: Em 5/3 o Hospital das Clínicas enviou uma remessa do remédio Valtrex para minha casa, suficiente até o dia 10/3. E somente o consegui após entrar em contato com a farmacêutica do hospital, pois não havia remédio disponível para os demais transplantados ali presentes. Minha filha soube que duas pacientes que estiveram internadas com ela no período de 13 a 20/2 não o receberam. O hospital deu a opção de comprá-lo ou então aceitar tomá-lo por injeção (que só é aplicada no hospital). Para isso, elas deveriam procurar um posto de saúde para receber tal aplicação. Acho que a falta do remédio não é pontual, como alega a secretaria. Bom, vamos esperar os próximos meses para ver o que acontece.

PARAÍSO

Calçada perigosa

Há mais de dois meses caiu uma árvore na esquina da Alameda Santos com a Rua Teixeira da Silva, Paraíso, em frente ao prédio em que resido. Apesar de inúmeros esforços do síndico em pedir ajuda à Prefeitura e à AES Eletropaulo, até hoje a raiz da árvore continua lá. Outro problema é a calçada da Rua Teixeira da Silva, do número 251 até a esquina da Avenida Paulista, que está cheia de buracos e desníveis. Muitas pessoas tropeçam e caem no local, principalmente em frente ao Colégio Conselheiro Rodrigues Alves. Quem é responsável por fiscalizar e arrumar essa calçada onde diariamente transita um número elevado de pessoas?

SÍLVIA C. SAMOR / SÃO PAULO

A Subprefeitura Vila Mariana informa que o serviço de remoção da raiz da árvore citada foi marcado para o dia 12/3. Diz ainda que durante esta semana será executado o plantio de uma nova espécie no local, mais adequada ao espaço. Explica que, após esse serviço, o condomínio ficará responsável pela recolocação do piso danificado, uma vez que o material utilizado na calçada é diferente do utilizado pela subprefeitura. Sobre o desnível no passeio em frente ao colégio, um ofício será encaminhado aos administradores solicitando as devidas providências.

A leitora reclama: A subprefeitura tirou a raiz ontem e disse que iria voltar para plantar outra espécie. Mas o problema da calçada do colégio continua, nada foi feito. Na fachada da Av. Paulista o piso é perfeito, mas é só seguir pela Rua Teixeira da Silva que tudo muda.

VISITA SKY

Perda de tempo

Sistematicamente, os agendamentos de visita técnica da SKY são inexplicavelmente postergados e cancelados, como o que venho tentando receber há quase uma semana. Em compensação, o débito automático da mensalidade nunca falha (e não custa pouco!). Liguei todos os dias da semana, mais de uma vez ao dia e a cada ligação a promessa de atendimento em 24 horas era, pouco tempo depois, reprogramada (sem aviso) para 48 horas. Mais uma vez eu fui enganado pela SKY. Passei o dia em casa esperando a visita agendada para as 15 horas e nada. Liguei para a empresa e a única solução que me deram foi um novo agendamento "automático".

MARCELO ASQUINO / SÃO PAULO

A SKY informa que uma funcionária da empresa entrou em contato com o sr. Asquino em 1º/3 e o cliente informou que a questão apresentada foi resolvida nesse mesmo dia, após a visita de um representante técnico da SKY.

O leitor desmente: Desde o dia 1.º/3 até 15/3 a SKY ainda não compareceu para realizar a substituição da antena. No dia 21/3 o descaso completará um mês. Um absurdo. O problema não foi solucionado, conforme informou a empresa. A Assistência Técnica esteve em minha residência e relatou que a antena parabólica da SKY deveria ser substituída, pois não funciona adequadamente em meu endereço. Vou ao Procon.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.