São Paulo Reclama

TELEFÔNICA - SEM TELEFONE FIXO E INTERNET

, O Estado de S.Paulo

12 Março 2011 | 00h00

Prejuízo e cobranças

Por mais que eu insista com a Telefônica e suas atendentes, não consigo fazer com que entendam que estou há 4 dias sem telefone e internet. A empresa insiste em dizer que eu devo desligar todos os aparelhos sem fio que tenho em casa, todas as extensões, etc., e fazer um teste, pois não foi detectado nenhum problema. Vários moradores do mesmo edifício também estão reclamando que estão sem telefone e, mesmo assim, a Telefônica diz não ter detectado nada? Tentei enviar um e-mail para a Ouvidoria e recebi a resposta de que o serviço estava indisponível. Preciso de telefone e internet para trabalhar, quem vai arcar com meu prejuízo?

MARIA CÉLIA SARTORI DE TOLEDO / SÃO PAULO

A Telefônica informa que, após ajustes técnicos, a linha da sra. Maria Célia está funcionando normalmente. A empresa informa que cancelou o valor cobrado. A Telefônica, que entrou em contato com a cliente para prestar os esclarecimentos necessários, lamenta e pede desculpas pelos transtornos causados.

A leitora revela: Na resposta enviada pela Telefônica, várias informações estão erradas. A linha foi reativada só depois da interferência do jornal, foram 13 dias sem telefone fixo; continuo sem o Speedy; e nenhum valor deixou de ser cobrado, ao contrário! Recebi a conta com ameaça de corte no fornecimento, acrescida de juros e correções, mesmo após a atendente dizer que ela seria cancelada. E a cobrança do serviço Speedy, de R$ 71,61, também está sendo feita. Trabalho em casa e tanto o meu orçamento quanto o atendimento aos clientes e fornecedores estão sendo prejudicados.

RECEITA FEDERAL

Restituição demorada

Em 2008 me mudei para os Estados Unidos. Em 2009, fiz a Declaração de Saída Definitiva e deveria receber uma restituição por volta de R$ 8 mil, mas até hoje não recebi nada. Entrei em contato com a Ouvidoria da Receita Federal e soube que a declaração ainda não fora processada e que iria repassar minha mensagem para as seções envolvidas no assunto. Depois, responderam outro e-mail dizendo que o processamento obedece aos procedimentos internos e não há acompanhamento via internet ou telefone. Num terceiro contato, esclareceram que a finalização do processamento gerará um resultado que será enviado, por via postal, ao procurador indicado. Se eu tivesse feito a declaração como se estivesse no Brasil, já teria recebido a restituição. E depois faria a Declaração de saída Definitiva. Li na internet que há contribuintes que esperam uma solução há 5 anos!

ROBERTO THOMAS I. MARTINS / CHICAGO

A Receita Federal do Brasil (RFB)responde que está prestes a concluir a unificação do processamento das três declarações de Imposto de Renda Pessoa Física: Ajuste Anual, Declaração Final de Espólio e de Saída Definitiva do País. Alega que, ano a ano, tem reduzido o prazo de depósito em conta corrente da restituição que, quando devida, ocorre em até 5 anos, de acordo com a Lei. As declarações finais de espólio entregues em 2009 já são objeto de processamento informatizado, tendo seus dados checados pelos sistemas de malha fiscal, a fim de serem pagas seguindo o calendário anual de lotes de restituição multi-exercício. Esse avanço abrangerá as declarações de saída definitiva entregues em 2009, no primeiro semestre de 2011, data a partir da qual as unidades locais da RFB poderão dar tratamento às declarações de saída. Explica que, após analisar a declaração e confirmar, manual ou eletronicamente, o direito à restituição, essa será programada para o próximo lote e atualizada pela taxa Selic a partir do mês seguinte ao vencimento do imposto até o mês anterior à restituição mais 1%, no mês do pagamento.

DESRESPEITO

Estacionamento indevido

Um restaurante localizado na Rua Pedro Humberto usa a rua como se fosse um estacionamento exclusivo do estabelecimento. Eles param o carro no meio da rua e, para piorar, estão estacionando os carros num terreno localizado na Av. Horácio Lafer 833 e 855. Eles tiraram o bloco de bloqueio do local da Prefeitura e usam esse terreno como estacionamento. Já reclamei para a CET e no site da Prefeitura, e nada foi feito.

MARCOS XIBIRU DOMINGUEZ / SÃO PAULO

A CET informa que a Rua Pedro Humberto opera em mão única de direção. Possui regulamentação de estacionamento rotativo do tipo Zona Azul no lado direito e proibição de estacionamento em período integral no lado esquerdo. Tanto a Rua Pedro Humberto como a Av. Horácio Láfer são fiscalizadas periodicamente pela CET, com o objetivo de remover interferências e inibir infrações.

O leitor reclama: O problema continua sem solução.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.