São Paulo reclama

Prejuízo não ressarcido

, O Estado de S.Paulo

01 Março 2011 | 00h00

Em 22/1, durante um temporal, a energia de minha casa oscilou e muitos aparelhos elétricos queimaram. O telefone e o Speedy também deixaram de funcionar. Acionei a AES Eletropaulo pelos danos sofridos e foi constatado que alguns aparelhos queimaram pelo excesso de tensão nas tomadas, pelos quais fui ressarcida, e outros pela entrada do Speedy. Portanto, a Telefônica teria de assumir a responsabilidade pelo excesso de energia transmitida pela linha telefônica. Entrei em contato com a empresa em 2/2. Um técnico ficou de verificar os danos em até 5 dias úteis, mas ninguém apareceu. No dia 11/2, liguei novamente e nenhum atendente sabia como proceder e "misteriosamente" a ligação caía. Apesar de a Telefônica ter todos os meus contatos, não retornou nenhuma ligação.

DELIA WERNICKE / SÃO PAULO

A Telefônica informa que enviou um técnico ao local e não constatou nenhuma anormalidade nos serviços de voz e banda larga da leitora sra. Delia. Diz ainda que o modem está funcionando normalmente. Responde que entrou em contato com a leitora para prestar os esclarecimentos necessários.

A leitora desmente: O problema não foi solucionado. A Telefônica se diz isenta de responsabilidade pelo fato ocorrido e, como não existe uma legislação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que a obrigue a assumir as responsabilidades pelos danos causados aos consumidores, terei de entrar com um processo judicial para ser ressarcida. E se na hora em que houve a descarga elétrica eu estivesse ao telefone e fosse atingida?

NA LISTA DA CET

Mas ainda sem solução

Há anos reclamo e nada é feito para melhorar a sinalização do cruzamento da Avenida Angelo Cristianini com a Rua Alcides Arguedas, na Cidade Ademar. Tampouco os motoristas mal-educados que passam por lá respeitam os sinais de trânsito. Também é preciso pintar a faixa de pedestres e a linha amarela nessas ruas. Já desisti de entrar em contato com o SAC da Prefeitura, pois já fiz muitas queixas e nenhuma providência foi tomada.

NELSON JOSÉ ZOVICO / SÃO PAULO

A CET informa que está elaborando projeto de manutenção da sinalização na Avenida Angelo Cristianini com a Rua Alcides Arguedas, que inclui a repintura da faixa de pedestres, a fim de melhorar as condições de segurança e circulação. Esclarece que o projeto será instalado de acordo com o cronograma de serviços da empresa.

O leitor reclama: Por enquanto nada foi feito.

PROBLEMAS COM SEDEX

Solução demorada

No dia 20/1, enviei por Sedex para Atibaia uma caneca com um gel em seu interior que congela e deixa a bebida bem gelada. O objeto foi embalado pela funcionária dos Correios. O destinatário recebeu o pacote em 22/1, mas a caneca estava quebrada, sem o líquido. Ele foi a uma agência de Correios local e disseram que o objeto seria devolvido ao remetente, para depois ser entregue à agência onde tinha sido despachado. Recebi-o em 26/1 e fui aos Correios. Após longa espera na fila, soube que a reclamação só podia ser feita por telefone. Fiz a ligação e a funcionária passou um número de protocolo, dando um prazo de cinco dias úteis para que alguém entrasse em contato e buscasse caneca para de análise e possível reembolso. Porém, ninguém entrou em contato. Liguei novamente em 3/2 e fui informada de que o pedido fora encaminhado em 1.º/2 para o setor de reembolso. Mas até hoje não obtive nenhuma resposta.

MARIA DO CARMO MAZZA / SÃO PAULO

A Diretoria Regional dos Correios de São Paulo Metropolitana esclarece que, por causa de uma falha operacional providenciou a indenização prevista para o serviço, no valor de R$ 63,40.

A leitora comenta: Fui informada de que serei indenizada até o dia 3/3. Estou aguardando.

FALHA NO SEM PARAR

Erro em cadastro

Desde 28/8/2010 recebo cobranças da Sem Parar Via Fácil de um carro que não é o meu. A empresa errou ao fazer o cadastro de meu veículo. Desconfio se, de fato, o automóvel cobrado existe. A justificativa dada é que ainda nada pode ser feito.

ROBSON CAMPOS PASSOS / SÃO PAULO

A STP responde que houve falha pontual no cadastramento da adesão ao sistema Sem Parar/Via Fácil. Diz que entrou em contato com o cliente para se desculpar e que providenciou o reembolso.

O leitor confirma: Fui realmente ressarcido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.