São Paulo Reclama

ESTAÇÕES VILA PRUDENTE E TAMANDUATEÍ DO METRÔ

, O Estado de S.Paulo

24 Fevereiro 2011 | 00h00

Serviço incompleto

Depois de serem entregues as Estações Vila Prudente e Tamanduateí com atraso e após 6 meses de sua inauguração, os trens do Metrô ainda não funcionam em sua totalidade. O pior é que, desde 15/2, quem tomar o Metrô nessas duas estações em direção à Estação Sacomã terá de pagar a passagem. Antes ela só era cobrada de quem fosse continuar a viagem. Agora a estação abre mais cedo, mas continua fechando às 17 horas. Ou essas estações passam a funcionar no período das 4h40 à meia-noite, como as demais, ou o Metrô deve parar de cobrar por um serviço que é feito pela metade. Com a palavra, o Metrô.

RENATO CORONA / SÃO PAULO

O Metrô informa que, em 5/2, ampliou a operação nas Estações Vila Prudente e Tamanduateí, da Linha 2-Verde, que passou a ser feita diariamente das 8 às 17 horas, incluindo os fins de semana e feriados. A medida permitiu aos usuários ter acesso direto ao sistema, eliminando a transferência na Estação Sacomã, em caso de continuidade de viagem. Com a ampliação do horário de atendimento, explica, o número de passageiros atendidos nas duas estações aumentou. Até o final do primeiro quadrimestre deste ano, a operação comercial nas duas estações será estendida para todo o horário de pico da manhã e da tarde. Reitera que a instalação de um sistema de alta tecnologia requer testes que demandam tempo muito maior do que o utilizado nos sistemas anteriores.

O leitor diz: Mais uma resposta burocrática. As estações citadas continuam funcionando em horários péssimos para a população e a justificativa é de que "estão em fase de testes". Ou cobram pelo serviço completo ou não cobram nada.

PERÍCIA DO INSS

Quem está com a razão?

A médica do trabalho da empresa onde minha irmã trabalha não autorizou seu retorno às funções, por ela estar com vários problemas de saúde, encaminhando-a ao INSS. Mas o INSS já lhe deu alta duas vezes. Ela já entrou com recurso, mas o instituto manteve a alta. Ela fica indo de lá para cá, sem solução, sem receber salário ou auxílio-doença.

KELLI GONÇALVES / SÃO PAULO

A PREVCartas/INSS-SP esclarece que o pedido de auxílio-doença da irmã da sra. Kelli, sra. Rosemary, foi indeferido em 3/2/2011, porque a perícia médica avaliou que ela não estava incapacitada para

o trabalho. Ela poderá contestar a decisão por meio de um Pedido de Reconsideração (PR), no prazo

de 30 dias da data da ciência

do indeferimento.

A leitora relata: Minha irmã já tentou entrar com o Pedido de Reconsideração, mas ele não foi aceito. Tentou entrar com recurso, mas a atendente informou que o sistema estava fora do ar na agência do INSS, sem previsão de retorno. A empresa em que ela trabalha não aceita sua volta, pois o médico diz que ela não está em condições de exercer suas funções. Desse modo, está sem receber salário ou o auxílio do INSS. Existe o comentário geral de que os médicos do INSS receberam a ordem de dar alta para todos, independentemente da condição do paciente.

DESCASO

Sem médico, sem resposta

Agradeço pela publicação da minha reclamação em 17/2 (Hospital São Paulo - Atendimento Negado, onde o leitor diz que foi orientado por uma funcionária do Hospital São Paulo a procurar atendimento numa UBS próxima a sua residência, pois não seria mais atendido ali, mesmo tendo passado por uma cirurgia no hospital). Infelizmente, não houve nenhuma manifestação ou resposta por parte da instituição. Não dão a mínima aos pacientes. O que prova que a saúde pública no País está falida e é administrada por pessoas incompetentes. Lamentável.

BENEDITO RAIMUNDO MOREIRA / GUARULHOS

TRÊS MESES DE ESPERA

Para ligação de esgoto

Em 24/11/2010, solicitei à Sabesp a ligação de esgoto de um imóvel, onde instalarei uma loja de alimentos. A concessionária fez a vistoria e informou pelo setor de atendimento que a ligação seria feita entre os dias 23/1 e 30/1, porém não foi realizada. Entrei em contato com a Ouvidoria no início de fevereiro, que respondeu que efetuaria o serviço entre os dias 5/2 e 6/2. Mas ninguém apareceu. Sem a ligação do esgoto, não posso abrir a loja.

LILIANA PERRELLI PEÇANHA / SÃO PAULO

O Superintendente da Unidade de Negócio Centro da Sabesp, Francisco José F. Paracampos, responde que a ligação foi executada em 13/2, regularizando a situação.

A leitora comenta: Foi solucionado, mas após quase 3 meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.