São Paulo Reclama

POLICIAMENTO NA RODOVIA IMIGRANTES

, O Estado de S.Paulo

22 Fevereiro 2011 | 00h00

"Fechada para almoço"

Qual é o horário em que os policiais rodoviários retornam do almoço? Em 5/2, sábado, das 12h15 até as 14 horas, ao chegar ao entroncamento da Rodovia Imigrantes com a Pedro Taques, vi apenas 2 policiais rodoviários em postos fixos que ficam ao longo da Imigrantes. Um em São Bernardo e outro no início da descida da Serra do Mar. O tráfego estava parado e não havia ninguém para dar auxílio.

SÉRGIO SALOMÃO / SÃO PAULO

O Comando de Policiamento Rodoviário informa que, em 5/2, havia 42 policiais militares de serviço no trecho que compreende a Rodovia dos Imigrantes (SP-160) e o início da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega (SP-055), antiga Pedro Taques. Por causa do grande número de pessoas que se deslocam ao litoral, o 1º Batalhão de Polícia Rodoviária dá reforço às principais rodovias de sua circunscrição com outros órgãos. Diz que a "Operação Verão" conta com aumento no número de policiais militares e com remanejamento de outros batalhões. Se há grande movimento, como no dia 5/2, o resultado pode ser morosidade do tráfego. Diz que o número de policiais foi reforçado no Sistema Anchieta-Imigrantes, mas, apesar do planejamento voltado ao policiamento preventivo, inúmeros acidentes de trânsito, eventos de atendimentos a usuários e ocorrências que demandam apresentação no Distrito Policial podem alterar o foco do policiamento.

O leitor comenta: Não havia 42 policiais, pois contei os soldados e, no total, eram 4 policiais militares no trecho citado. E, no entroncamento das 3 saídas para Santos/São Vicente, Guarujá e litoral, onde normalmente se vê uma viatura da Polícia Rodoviária, não havia nem viatura nem policiais.

INCOMUNICÁVEL

Telefônica causa danos

No dia 8/2 minha linha da Telefônica ficou muda e o Speedy parou de funcionar. Solicitei reparo e a empresa disse que resolveria o problema em 24 horas, mas o prazo poderia se estender. Ora, esse prazo não é abusivo? É muito tempo para ficar sem esses serviços. Além disso, há uma pessoa em casa que faz faculdade a distância e precisa da internet. Como já era de esperar, o tal prazo foi estendido e, até o dia 10/2, ninguém compareceu para fazer

o reparo.

MÔNICA H. M. GARCIA / SÃO PAULO

A Telefônica informa que, após manutenção, a linha e o Speedy da sra. Mônica estão funcionando normalmente. Diz que a cliente terá um crédito na conta de março referente ao período em que ficou sem o serviço.

A leitora comenta: Graças à intervenção do jornal, vou receber um desconto de R$ 12 referente ao tempo em que os serviços não funcionaram.

CORREIOS

Cartas com atraso

A entrega da correspondência em minha casa, na cidade de Atibaia, está uma lástima. No ano passado, fiz uma reclamação nos Correios, mas de nada adiantou. Algumas contas de consumo venceram em fevereiro e eu ainda não recebi as faturas. Só gostaria de receber as minhas cartas em dia.

ADEMIR M. LOPES ROMERO / ATIBAIA

A Diretoria Regional dos Correios de São Paulo Metropolitana informa que os problemas ocorridos foram por causa das fortes chuvas na região, desde o início de janeiro. Esclarece ainda que a situação está regularizada desde o dia 10/2.

Esclarecimento: Em relação à carta do leitor sr. Gisberto Werninghaus, publicada em 15/2 neste espaço (em que o leitor reclama do risco de acidentes ao ter de reduzir a velocidade de forma brusca por causa da má sinalização no Rodoanel), a Dersa esclarece que, desde meados de dezembro passado, remanejou e complementou a sinalização de regulamentação de velocidade no Rodoanel, seguindo o que determinam as resoluções do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) atinentes ao assunto. Assim, considera que estão garantidas naquele trecho as condições para que o motorista controle a velocidade do veículo com a necessária segurança. Informa ainda que o citado radar (em local de visibilidade inadequada, segundo o leitor) está sinalizado de acordo com as resoluções do Contran. Quanto ao comentário do leitor sobre a Avenida Jacu-Pêssego (onde ele reclama da mudança brusca do limite de velocidade), informa que a sinalização na referida avenida é de responsabilidade dos municípios cortados pela via.

O leitor comenta: Não será nesta década que iremos melhorar o trânsito. Sei que o trabalho da Dersa não é fácil, mas respostas evasivas não resolvem os problemas de nossas estradas. Como a Dersa e outras entidades com responsabilidade para a orientação do trânsito bem sabem e sempre comentam "uma boa sinalização é responsável pela redução de 90%

dos acidentes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.