São Paulo Reclama

CINCO DIAS SEM SERVIÇO

, O Estado de S.Paulo

10 Fevereiro 2011 | 00h00

Jogo de empurra-empurra

No dia 24/1, cheguei em casa à noite e descobri que estava sem acesso ao serviço Speedy. Entrei em contato com a Telefônica e, depois de aproximadamente 40 minutos ao telefone, fui informada de que o problema não era na central e, sim, em minha residência e que eu deveria chamar um técnico de minha confiança. Em 26/1, o técnico fez o possível, mas o problema ainda continuava. Novamente entrei em contato com a Telefônica e, dessa vez, soube que o problema era com a central e deram um prazo de 24 horas para o serviço ser restabelecido. Mas, após esse período, continuei sem internet. Fiz novo contato com a central de atendimento e, segundo o suporte técnico, meu laptop estava com a placa de rede danificada. Porém, nesse mesmo dia, ele funcionou em três redes diferentes. Solicitei a visita de um técnico, que veio no dia 28/1. Ele concluiu que o problema era com a central e solicitou que o sinal fosse restabelecido. De fato, a internet voltou, mas o meu telefone ficou mudo! Quem paga meu prejuízo, já que trabalho em casa e tive de utilizar redes públicas por 5 dias? E os gastos que fiz pelo celular, já que estava sem telefone?

DENISE SIMONE SALAMA / SÃO PAULO

A Telefônica informa que, após ajustes técnicos, o Speedy da sra. Denise está funcionando normalmente na velocidade adequada.

Esclarece que a cliente terá crédito na conta telefônica de março no valor correspondente ao período em que o serviço teve problema.

A leitora reclama: Recebi um crédito de R$ 28. O que a Telefônica não leva em conta é que o valor ressarcido não cobre o transtorno causado. O pior é o jogo de empurra-empurra.

IAMSPE

Descaso e desrespeito

Reclamo do tratamento oferecido pelo Instituto Médico do Servidor Público (Iamspe) ao paciente José Clementino. Em 16/10 ele foi internado com quadro de AVC severo no Iamspe e ficou por mais de 2 semanas na área da emergência. Por negligência dos funcionários, ele caiu da maca sofrendo escoriações na cabeça. Mesmo assim, a família não entrou com ação legal sobre o ocorrido. O primeiro problema é que o paciente teve alta sem ter passado por um urologista. Ele continua com sonda urinária externa e se alimentando também por sonda, pois não consegue fazê-lo de outra maneira. Por estar incapacitado, ele necessita do Programa de Assistência Domiciliar. Outro problema é que a sonda está com o coletor de urina furado. Peço avaliação de um urologista urgente, pois a cada dia o quadro dele se agrava e não consigo marcar consulta.

PAULO LUVISON / SÃO PAULO

A Assessoria de Imprensa do Iamspe informa que o paciente já é atendido pelo Programa de Assistência Domiciliar, tendo direito inclusive a transporte por ambulância sempre que necessário. Após o contato do familiar com a Ouvidoria, foi marcada uma visita domiciliar extra para o dia 31/1. Foi mantida a próxima visita à residência do paciente que já estava agendada para 12/2. Uma consulta com o urologista está marcada para o próximo dia 10/2 no Hospital do Servidor Público Estadual. O médico do Iamspe esteve na casa do paciente e não constatou piora clínica que justificasse intervenção ou transferência para o hospital. O sr. Clementino não apresentava febre nem sinais de infecção urinária ou qualquer secreção expelida pela sonda. Um profissional do Programa de Assistência Domiciliar averiguou o estado da sonda e o coletor de urina não está furado.

O leitor comenta: O problema começou a ser solucionado. Um médico está avaliando a situação. Espero que respeitem os direitos do paciente, pois todos os meses descontam de seu pagamento uma quantia para o Hospital do Servidor Público.

ATENDIMENTO - NET

Acordo não registrado

No dia 3/12/2010 fiz um acordo com a NET de uma dívida antiga. Como não recebi nenhum boleto, voltei a ligar para a empresa e fui informada de que não havia nada sobre o acordo firmado em meu nome. E, além de não acharem o acordo, ainda disseram que eu tinha de pagar uma fatura em aberto de 25/6/2009. Mas eu tinha encerrado o serviço com a NET em 8/5/2009! Depois de um tempo, a atendente disse que conseguira visualizar o acordo, mas, segundo ela, houve um erro por parte do atendimento e ele não fora registrado no sistema. É inadmissível que uma empresa desse porte seja tão desorganizada e não cumpra os acordos firmados.

NYDIA G. ASNIS / SÃO PAULO

A NET informa que entrou em contato com a cliente e esclareceu as dúvidas citadas.

A leitora revela: Funcionários da NET ligaram, tentaram se explicar, mas não querem cumprir o acordo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.