São Paulo Reclama

INTERRUPÇÃO TEMPORÁRIA DO SERVIÇO

, O Estado de S.Paulo

27 Janeiro 2011 | 00h00

Cobrança integral

Em 13/10/2010 pedi que a Telefônica suspendesse por 30 dias minha linha, pois sou o único usuário e iria viajar. Desde então começaram os problemas: combinei o corte para o dia 18/10, mas cortaram no dia 14/10. Ao regressar da viagem, em 18/11, a linha continuava muda. Fui novamente à loja da Telefônica na Rua 7 de Abril, onde fiquei por quase duas horas. Além disso, não tinham deduzido os valores referentes ao período da suspensão temporária do serviço. Recebi uma carta em 20/11 concedendo o abatimento de R$ 98,55. Encaminharam uma segunda via em 23/11 no valor de R$ 40,54, mas a conta já havia sido paga por débito automático no dia 22/11, no valor integral de R$ 138,09. Entrei em contato com a Telefônica, que prometeu compensar o valor na conta de dezembro, o que não foi feito. Falei com a Ouvidoria da empresa e o funcionário prometeu uma solução até o dia 21/12. Nesse dia, por telefone, a empresa disse que iria depositar o valor em minha conta corrente. Mas até o dia 12/1 o depósito não tinha sido feito.

ODILON DA SILVA ROCHA / SÃO PAULO

A Telefônica informa que regularizou a situação do sr. Rocha, sem ônus financeiros para o cliente. O valor cobrado será creditado em sua conta bancária até dia 31/1. A empresa diz que entrou em contato com o cliente para prestar os esclarecimentos necessários e lamenta e pede desculpas pelos transtornos causados. Para outros assuntos, os clientes ligar para Central de Atendimento (10315).

O leitor revela: Prometeram depositar até um valor maior. Uma funcionária disse que acompanhará o assunto até sua efetiva solução.

SEM PARAR

Problemas em cobrança

Instalei o TAG do Sem Parar no dia 23/12/2010 na Rodovia Anhanguera, indo para Santos. Escolhi o dia 15/1 para pagar a fatura via débito automático na conta corrente. No dia 7/1 passei vergonha, pois não consegui passar pela cancela de entrada do Shopping D. Pedro, em Campinas. Fui procurar ajuda num quiosque do shopping e a atendente disse que eu não havia pago o valor da adesão no dia 3/1. Não consegui acessar minha conta no site, pois não tenho o programa compatível. Mas, quando coloquei o aparelho, ninguém falou nada sobre isso. A atendente sugeriu ainda que eu procurasse uma lan house para imprimir minha fatura. Pedi para que ela fosse enviada por e-mail e ela disse que em 24 horas ela chegaria, mas que essa medida, em geral, não é permitida, mas não recebi nada. Quero uma resposta plausível e um atendimento digno.

ROSELI ROBERG / VALINHOS

O STP esclarece que, no momento da adesão da sra. Roseli, ocorreram falhas na captação de informações cadastrais da cliente, o que ocasionou o bloqueio do aparelho e o não recebimento da fatura. Informa que a regra referente à cobrança da adesão é entregue por escrito a todos os clientes no momento da venda. Concorda que o atendimento recebido pela cliente não foi adequado e informa que os funcionários foram advertidos. Diz que entrou em contato com a sra. Roseli, pedindo-lhe desculpas pelo ocorrido.

A leitora diz: O atendimento do Sem Parar é péssimo. Querem cobrar duas mensalidades, mas, em 23/1, eu completei um mês com o aparelho. Desisti do serviço!

SEDEX DEMORADO

Atendimento ruim

No dia 14/12 fiz uma compra na Star Cine Shop de um bluray, que me foi postado via Sedex no dia 15/12, com prazo de entrega de 1 dia útil. Mas o produto foi entregue somente no dia 29/12, um absurdo! Os Correios fazem diversas propagandas, como: "Sedex, pode confiar", "Mandou chegou", entre outras, mas, infelizmente, não é bem assim. O serviço dos Correios é caro e ineficiente, o atendimento é precário, a maior parte dos atendentes das agências parece estar fazendo um favor ao atender o cliente! Os Correios deveriam repensar em sua estratégia de marketing ou vão acabar sendo processados por propaganda enganosa!

PATRÍCIA NITOLO / SÃO PAULO

A Diretoria Regional dos Correios de São Paulo Metropolitana informa que houve uma irregularidade no encaminhamento do produto da sra. Patricia, o que ocasionou atraso na entrega. Por esse motivo, o remetente tem direito à restituição da tarifa postal, conforme previsto para o serviço. Para tanto, deverá entrar em contato com o serviço Fale com os Correios, pelo site correios.com.br ou pelo telefone 0800 725 0100, para informar seus dados bancários.

A leitora afirma: O problema não foi solucionado, pois não houve devolução dos valores. Os Correios, simplesmente, ignoram seus clientes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.