São Paulo reclama

PLANO (NÃO) FALE À VONTADE DA TELEFÔNICA

, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2010 | 00h00

Promoção ou serviço?

Nos últimos meses, a Telefônica dobrou o valor do Speedy, seu serviço de banda larga, e mudou as regras do serviço Fale à Vontade, que permitia aos usuários ligar sem tarifação para números de qualquer operadora, desde que na mesma área. A Telefônica alega que se tratava apenas de uma "promoção", e não de um serviço (como na verdade foi vendido). Solicitei explicações e a atendente justificou dizendo que a medida se devia ao fato de a Telefonica não ter entrado em acordo com as demais operadoras. Pedi que comprovassem a venda do serviço como promoção, enviando contrato, peças promocionais, além da gravação da ligação. Nenhuma peça enviada ratifica o argumento da Telefonica. Quanto à gravação, ela também diz não ter mais. Enquanto isso eu e outros usuários tivemos os valores de nossas contas aumentados em até 100%, numa completa demonstração de desrespeito ao Código de Defesa do Consumidor.

ADRIANA FABBRI / SÃO PAULO

A Telefônica informa que a situação da sra. Adriana foi regularizada, sem ônus financeiros para a cliente.

A leitora contesta: O problema não foi sanado. A Telefônica ressarciu o valor referente à cobrança indevida pelo Fale à Vontade. Mas não apresentou nenhum documento comprovando que o serviço seria cobrado, quando as ligações fossem feitas para outras operadoras. No ato da adesão ao plano, a informação foi de que seria possível fazer ligações para qualquer operadora, desde que na mesma área, mediante o pagamento de um valor fixo.

ACESSIBILIDADE

Poucos ônibus adaptados

Sou cadeirante e moro em Jangadeiro. Para ir até o Terminal Capelinha, tenho de pegar o ônibus da Linha 6821/10 Terminal Capelinha/Jardim Jangadeiro. Ele é o único adaptado para pessoas que usam cadeiras de rodas. E, dos seis coletivos existentes nessa linha, apenas um é adaptado. Já registrei uma queixa na SPTrans. A situação é muito complicada. Por exemplo, em 15/10, fiquei uma hora esperando no terminal pelo ônibus adaptado. Peço aos responsáveis que aumentem a frota.

AMANDA RODRIGUES / SÃO PAULO

A SPTrans não respondeu.

A leitora diz: O problema continua.

ABANDONO

Praça na Santa Cecília

A Praça Marechal Floriano Peixoto está abandonada e no espaço, que deveria ser um parque infantil, há carcaças de brinquedos e está tomado por pertences de moradores de rua. Mesmo com o serviço diário de cata bagulho, a sujeira continua. Seria fundamental que fosse instalado um posto policial e, no lugar do parque, um jardim. É preciso tirar os moradores de rua dessa condição. A quantidade de pessoas nessa situação só aumenta no bairro.

REGINA TELES / SÃO PAULO

A Secretaria do Verde e Meio Ambiente não respondeu.

A leitora comenta: A praça

está abandonada há anos.

PERIGO

Árvore prestes a cair

No dia 12/11 entrei em contato com a Ouvidoria da Prefeitura para comunicar que a árvore em frente ao número 1.627 da Rua Oscar Freire está prestes a cair. A inclinação é grande e suas raízes levantaram a calçada. Fui orientada a telefonar para o 156. Ao ligar, o atendente disse que eu teria de ir à subprefeitura para comunicar o fato!

MARIA LÚCIA QUAGLIO LIRA / SÃO PAULO

A Subprefeitura Pinheiros informa que um engenheiro agrônomo esteve no local e constatou que a árvore citada apresenta risco de queda e esclarece que sua remoção foi programada para os próximos dias. No local será plantada outra muda adequada à calçada.

A leitora reclama: O problema ainda não foi solucionado.

Fique atento: Posso cancelar a compra, se não gostar do produto?

Os fornecedores não são obrigados

a cancelar a compra de produtos que não apresentem defeitos. O cancelamento é obrigatório, de acordo com as disposições do Código de Defesa do Consumidor, quando: for constatado, no prazo de garantia, que o produto apresentou defeito e após 30 dias o fornecedor não conseguiu saná-lo; a quantidade for diferente da especificada; não houver cumprimento da oferta; houver desistência em 7 dias, se a compra foi realizada fora do estabelecimento comercial (internet, telefone, etc.); e se houver promessa de troca ou prazo para cancelamento na nota fiscal ou no pedido de compra. Fonte: Procon-SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.