São Paulo reclama...

VELOCIDADE MAIOR SÓ NA PROPAGANDA

, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2010 | 00h00

Indisponibilidade técnica

Contratei um plano da TVA, em que constava velocidade de internet de 16 MB, mas, no entanto, só vinha recebendo, no máximo, 1,5 MB e pagando por 16 MB. No dia 4/11, por telefone, a atendente informou que a disponibilidade técnica máxima na minha região, ou seja, Pinheiros, é 1 MB. Gostaria de saber qual a razão de a empresa em questão ter colocado um cartaz no hall do meu prédio com uma propaganda visível para os 124 apartamentos oferecendo um pacote promocional de 16 MB por R$ 59,90? Durante 2009, paguei por um pacote de 8 MB o valor de R$ 54,90, e a mesma situação ocorreu, não recebi mais do que 1,5 MB. A conclusão é de que realmente se trata de má-fé e falta de respeito ao cliente. Até quando continuaremos a ser enganados desta forma por empresas desse porte?

CAROLINA BRANDÃO / SÃO PAULO

A TVA informa que, por causa de um problema operacional, recebeu a fatura da sra. Carolina erroneamente. A TVA lamenta o ocorrido e informa que renegociou o acordo estabelecido anteriormente, cancelando a primeira assinatura e mantendo a nova, e confirma ainda que a assinante optou por manter a assinatura de TV, alterando apenas a velocidade da banda larga. A TVA informa que momentaneamente, em virtude de manutenção na rede, não há disponibilidade técnica para velocidades acima de 1 MB nessa região específica.

A leitora diz: Realmente eles acertaram os valores e passaram minha internet para 1 MB, mas o que realmente me choca é a má-fé, uma vez que o cartaz continua no saguão do meu prédio, oferecendo o pacote de 16 MB por R$ 59,90, ou seja, eles realmente são mal-intencionados.

TAM FIDELIDADE

Créditos difíceis

Escrevo para a coluna, pois já esgotei todas as minhas tentativas de falar com a TAM. No início de outubro, fiz uma viagem a Copenhague com uma parceira da TAM, a TAP. Fui aconselhada a apresentar meu cartão TAM Fidelidade em cada balcão de check-in para receber em minha conta os pontos da viagem. Foi o que fiz. Porém, nenhum ponto foi creditado. Desde 25/10 tento falar com alguém da TAM, mas, quando começo a explicar o problema, a ligação cai. Percebo que essa companhia não tem interesse em resolver os problemas de seus clientes. A única vez em que eu consegui ser atendida, soube que eles iriam demorar um mês para creditar os pontos de minha conta, desde que eu mandasse um fax com a cópia dos cartões de embarque e da passagem. Mas ao tentar passar o fax a ligação cai. Pensando que o problema estaria em meu telefone, tentei enviá-lo de outros telefones, mas não tive sucesso. Eu estava contando com esses pontos para emitir uma passagem para o final deste ano. Com essa demora, creio que ficará em cima da hora e eu não vou mais encontrar nenhuma passagem.

SANDRA MAY / SÃO PAULO

A TAM responde que entrou em contato por e-mail com a sra. Sandra para informá-la de que a pontuação pleiteada por ela, relativa aos voos TP 0198 (São Paulo/Copenhague) e TP 0505 (Copenhague/São Paulo) já está creditada em sua conta corrente do Programa TAM Fidelidade.

A leitora diz: Os pontos ainda não foram creditados, mas recebi um e-mail da empresa, na sexta-feira, prometendo que iria fazê-lo em 48 horas.

COMGÁS

Reembolso após 2 meses

Moro sozinha num apartamento e meu consumo médio mensal de gás é de 1 m³, e o valor varia de R$ 6 a R$ 8 por mês. Na fatura do mês de julho foi lido erroneamente o consumo de 25 m³. Entrei em contato com a Comgás para pedir o reembolso de R$ 76,30, já que essa quantia foi debitada de minha conta corrente. Desde o dia 8/8 entro em contato com a concessionária, mas nada é feito. Também fiz uma reclamação em 27/8 na Ouvidoria da empresa. Como não recebi nenhum retorno, entrei em contato com a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp). Mas a agência respondeu que eu deveria continuar aguardando a concessionária se manifestar. Não sei mais a quem recorrer, pois pensava que o órgão regulador do serviço deveria ajudar o consumidor a obter uma resposta efetiva e rápida ou que a concessionária fosse multada.

CLÁUDIA BEATRIZ T. DE FREITAS / SÃO PAULO

A Comgás pede desculpas pelos transtornos e informa que o valor devido foi pago à cliente no dia 21/10.

A leitora confirma: Depois de dois meses e somente com a ajuda do jornal, finalmente o problema foi solucionado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.