São Paulo reclama...

DESRESPEITO AO LIMITE DE VELOCIDADE

, O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2010 | 00h00

Veículos pesados na capital

Nas estradas e avenidas paulistas há limites de velocidade diferenciados para veículos leves e pesados, em diversas combinações. Mas o que vejo é que os condutores dos caminhões e ônibus normalmente se enquadram na categoria dos leves, andando sempre nos limites superiores permitidos, já que os sistemas de controle não diferenciam as duas categorias. Decorrente deste fato, ocorrem diversos acidentes, que, além de vítimas e perdas materiais, acabam provocando imensos transtornos ao trânsito dos grandes centros (congestionamentos recordes). Será que não caberia aos órgãos competentes uma atuação mais efetiva, talvez uma campanha educacional para melhoria da condição de vida da população?

ANTONIO F. C. FLEURY / SÃO PAULO

Adele Nabhan, do Departamento de Imprensa da CET, informa que a regulamentação do tráfego de caminhões é prioridade da Secretaria Municipal de Transportes. Além de ter restringido a circulação dos caminhões no Centro Expandido das 5 às 21 horas, diz que a CET reduziu o limite de velocidade dos chamados veículos pesados - caminhões e ônibus - nas principais vias da cidade, como a Marginal do Tietê e a Marginal do Pinheiros. Dessa forma, a ocorrência de acidentes é reduzida e o trânsito da cidade está cada vez mais seguro.

O leitor responde: A resposta da CET não se refere absolutamente ao meu comentário, já que o limite de velocidade não é respeitado pelos veículos pesados! Dia 2/11 mesmo, às 18:30, na Anhanguera, sentido capital, enquanto eu andava no limite de 100 km/h, fui ultrapassado por um caminhão-tanque-duplo, que seguia atrás de um ônibus da Emtu. E tudo bem!

INSPEÇÃO VEICULAR

Duas análises seguidas?

Fiz inspeção veicular da minha moto em 14/1 deste ano. Ela foi aprovada, mas o selo emitido foi de 2009, sob a absurda alegação de que eu deveria agendar outra inspeção em 2010, pois não consta a de 2009. As inspeções são cumulativas? Qual o propósito da inspeção, controlar a emissão de combustíveis ou arrecadar dinheiro? No meu caso, a moto ficou por 2 anos na oficina sendo reformada.

JOSÉ HENRIQUE DE MACEDO / SÃO PAULO

A Assessoria de Comunicação da Controlar esclarece que, por lei, a inspeção ambiental veicular deve ser feita anualmente no mês correspondente ao final da placa do veículo. O calendário está disponível no www.controlar.com.br. Pelo que diz o sr. Macedo, a inspeção da moto foi feita com atraso, já que janeiro é o mês reservado aos retardatários, ou seja, o leitor fez em 2010 a inspeção referente a 2009. Sendo assim, será necessário fazer a inspeção referente a 2010, caso contrário, a moto não poderá ser licenciada.

ÁRVORE PRESTES A CAIR

Perigo por quase 1 mês

No dia 7/10 uma ventania partiu ao meio uma árvore do meu jardim, ficando parte dela pendurada, ameaçando cair em cima do muro de casa e do ponto de ônibus que fica na mesma calçada. Chamei um jardineiro para cortar os galhos, mas ele não conseguiu fazer o serviço, porque estavam em cima da rede elétrica. Telefonei para a AES Eletropaulo, que demorou bastante para me atender. No dia seguinte, dois funcionários da Eletropaulo vieram verificar a situação do local. Disseram que iriam providenciar que a energia fosse desligada. Como nada foi feito, liguei novamente e disseram que eu deveria ir a uma das lojas da concessionária para solicitar o serviço. Depois de 3 horas de espera em uma delas, descobri que o pedido só poderia ser feito na central. Há semanas nada mudou. Há perigo de acidente no local.

BEATRIZ M. G. P. CAMARGO / SÃO PAULO

A AES Eletropaulo informa que

a poda da árvore foi feita em 31/10. Esclarece ainda que, quando visitou o local, identificou que outras árvores deveriam ser podadas para evitar contato com a rede elétrica. Acrescenta que precisou enviar o pleito à subprefeitura e teve de aguardar a sua autorização para realizar o serviço.

A leitora confirma: O problema foi solucionado.

PROPAGANDA ENGANOSA

TVA vende o que não tem

Desde o dia 6/10 aguardo a instalação da tecnologia HD

pela TVA, que me vendeu um pacote com esse serviço. Mas a empresa agora diz que não tem o equipamento. Isso, depois de marcar visita técnica e me deixar esperando o dia todo, é um desrespeito!

THEA NALIATO /SÃO PAULO

A TVA não respondeu.

A leitora relata: Liguei na TVA e os funcionários dizem que não têm o equipamento nem previsão de chegada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.