São Paulo reclama

Noites insones

, O Estado de S.Paulo

21 Setembro 2010 | 00h00

Estou escrevendo para o jornal à 1h43, do dia 1.º/9, porque não consigo dormir em razão do terrível barulho que a obra vizinha a meu prédio, na Rua Peixoto Gomide, nos Jardins, tem feito durante a madrugada. O problema ocorre quase todos os dias. Já chamei a polícia e fiz uma reclamação no call center da Prefeitura, aliás, com muita dificuldade. Quando eu ligo no 156, a ligação sempre cai. O site da Prefeitura, por sua vez, não funciona há meses e, para deixar o munícipe ainda mais "satisfeito" com a prestação dos serviços, a página cai logo após preencher de todo o cadastro da solicitação e clicar no botão "enviar".

RENATO LIMA / SÃO PAULO

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informa que a reclamação foi encaminhada ao Programa de Silêncio Urbano (Psiu) para que o local citado seja incluído em próximas fiscalizações e, caso sejam constatadas irregularidades, serão tomadas as devidas providências. Responde que, segundo a Subprefeitura Pinheiros, a referida obra possui alvará de execução. Esclarece que as medições são feitas do exterior da edificação que está gerando ruído e, se a medição não constatar ruído superior ao permitido pela legislação, o Psiu poderá pedir a autorização do denunciante para fazer a medição de sua residência. Ressalta que algumas ações do Psiu são feitas com apoio da Polícia Militar, da Guarda Civil Metropolitana, das Subprefeituras e de outros órgãos municipais e, por isso, as fiscalizações necessitam ser programadas antecipadamente.

O leitor diz: O site não funciona há meses. A opção é somente pelo telefone, e é preciso fazer várias tentativas.

CAOS NO MORUMBI

Tráfego de caminhões

Moro na Rua Dr. Luiz Migliano, perto do Portal do Morumbi e do Cemitério da Paz. Com a proibição de circulação de caminhões na Marginal do Pinheiros, a região onde resido se tornou itinerário de caminhões pesados. Parece que a CET não atentou para o "jeitinho" brasileiro. Minha rua fica a 8 km

do Rodoanel, inicia-se na Av. Francisco Morato e termina num cruzamento com a Rua Guilherme Dumont Villares. Tentei reclamar no 156 da Prefeitura, mas não obtive êxito. Foi sugerido pelo atendente que eu fizesse a reclamação no site, mas não encontrei o local para registrá-la.

ANDRÉ GARCIA / SÃO PAULO

Adele Nabhan, do Departamento de Imprensa da CET, informa que a regulamentação do tráfego de caminhões é prioridade da Secretaria Municipal de Transportes. Esclarece que circulam diariamente pela cidade de São Paulo cerca de 210 mil caminhões. A restrição ao tráfego desses veículos na Marginal do Pinheiros e nas Avenidas dos Bandeirantes e Jornalista Roberto Marinho, que começou a ser fiscalizada com autuações em 2/9, mostra uma melhoria na fluidez do trânsito, comparando-se com o mesmo período no ano passado. De acordo com a CET, em toda a cidade, a análise das medições mostra que a lentidão média diária caiu 32% de 2009 para 2010 (de 83 km para 56 km). Com relação ao aumento de tráfego de caminhões em algumas vias na região do Morumbi, a CET ressalta que vem realizando estudos do impacto dessas medidas no bairro, acompanhando e monitorando o comportamento do trânsito diariamente. Entre as vias monitoradas estão as Avenidas Giovanni Gronchi, Morumbi, Eliseu de Almeida e Professor Francisco Morato. Caso necessário, a CET fará os devidos ajustes, sem descartar a ampliação da restrição. Acrescenta que, para atingir o objetivo de diminuir o número de veículos pesados que usam as vias da cidade apenas como passagem, a Prefeitura e o governo do Estado analisam o transporte de cargas na região. Com base nesse levantamento, será decidido se o tráfego de caminhões também será restrito nas Avenidas do Estado e Salim Farah Maluf e na Marginal do Tietê, após a inauguração das obras na Avenida Jacu Pêssego.

LIGAÇÕES INDESEJADAS

Legislação desrespeitada

Mesmo com a determinação legal que impede a ligação de empresas de telemarketing, a lei é burlada e companhias fazem ligações sem identificação do número de chamada ou usam números que, ao serem chamados em retorno, a operadora de telefonia informa que "o terminal eletrônico não recebe chamadas". Não posso denunciá-las, pois não tenho prova das tais ligações. Gostaria de saber se a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) não poderia estabelecer com as operadoras de telefonia uma norma que impeça a ocultação do telefone

de origem.

PAULO SÉRGIO MARIANO/ SÃO PAULO

A Anatel não respondeu.

O leitor diz: Não recebi nenhum contato da agência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.