São Paulo Reclama

FALTA FISCALIZAÇÃO

, O Estado de S.Paulo

10 Setembro 2010 | 00h00

Descarte irregular

Não bastasse o ponto viciado de depósito de entulhos que existe em frente a minha casa (Rua Dr. Augusto de Miranda, na Pompeia), sobre o qual a Prefeitura nem sequer toma conhecimento, o local agora virou ponto de venda de materiais recicláveis. Dois homens, proprietários de uma perua Kombi, recolhem materiais recicláveis e os mantêm depositados no local até que um comprador leve tudo. Onde estão os fiscais para aplicar a tal multa (de descarte irregular) de R$ 12 mil? Quando serão resolvidos os problemas decorrentes do entulho da minha vizinhança? E os ratos que estão invadindo as casas? Logo chegará o verão com aquelas tempestades que inundam tudo.

MARCOS ROCHA / SÃO PAULO

A Subprefeitura da Lapa informa que os materiais depositados na Rua Doutor Augusto de Miranda serão recolhidos dentro dos próximos dias e que o local citado permanecerá sob constantes fiscalizações, para que seja coibida a prática do descarte irregular de materiais no local. Informa que em julho foi sancionada a lei que aumenta o valor da multa por descarte irregular de R$ 500 para R$ 12 mil. A Secretaria, por meio das 31 subprefeituras, realizou uma megaoperação de 24 horas, em parceria com as Polícias Civil e Militar, além da GCM, que resultou em 21 multas. Ressalta que a população pode colaborar por meio de denúncias feitas pelo telefone 156 ou pelo Disque Limpeza 0800-7270211. Há ainda o telefone 2219-2219 para casos de flagrante.

O leitor conta: O problema foi resolvido em parte. Foram retiradas as pessoas que faziam comércio de reciclados aqui na porta de casa, mas o depósito de lixo e entulho continua ali.

RECICLAGEM SUSPENSA

Retrocesso

Gostaria de saber quais os motivos que levaram à suspensão da coleta seletiva que há mais de 3 anos era feita na Rua Princesa Leopoldina, Alto da Lapa, bem como nas ruas próximas. Todos os sábados o caminhão passava recolhendo os materiais separados pelos moradores durante a semana. Infelizmente, após uma série de faltas alternadas, o caminhão da Loga simplesmente desapareceu. Após contatos pelo 156, a informação obtida foi de que todas as cooperativas que recebem esse material estão com sua capacidade física esgotada e não existe local para descarregar os recicláveis. Como isso é possível? Numa cidade como São Paulo, a maior do Brasil, temos agora que retroceder? Vamos voltar ao tempo em que se colocava todo o lixo num único lugar? Vamos nos esquecer da cidadania, da preocupação com o meio ambiente, da responsabilidade social? Com a palavra o subprefeito, o prefeito e quem mais possa me dar uma resposta e, mais que uma resposta, a solução.

WALKYRIA TERESA GRASSESCHI / SÃO PAULO

O Departamento de Limpeza Urbana (Limpurb) informa que constatou, por meio do sistema de monitoramento online via GPS, que o caminhão coletor não passou na Rua Princesa Leopoldina durante duas semanas e a empresa de coleta será notificada. O departamento tem feito reuniões com concessionárias e cooperativas para identificar os gargalos e encontrar soluções imediatas para resolver os problemas em relação à coleta seletiva. Informa que em curto prazo serão incluídas mais 6 cooperativas para atender à demanda. O Limpurb diz que está em busca de novas áreas para a instalação das centrais de triagem que receberão os grupos conveniados e já autorizou a construção de um galpão na região oeste da cidade.

PARQUE ABANDONADO

Urubus no Ibirapuera

No Parque do Ibirapuera, urubus voam de braçadas. Disputam espaço com cisnes, gansos, patos, marrecos. No lago podre da área de lazer mais importante da cidade, continuam sendo despejados esgotos de mansões que cercam o patrimônio verde e dos banheiros do próprio parque. Os frequentadores do local pedem providências urgentes e planejadas. Falta transparência nas obras do Ibirapuera. Gostaria de saber se as empresas responsáveis pelas melhorias do parque têm cumprido ou cumpriram os contratos.

DEVANIR AMÂNCIO / SÃO PAULO

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras não respondeu.

Fique atento - Em comemoração aos 20 anos do Código de Defesa do Consumidor (11/9), será realizado nesta segunda-feira um seminário no câmpus da PUC-SP aberto ao público e gratuito. O evento tem como objetivo homenagear os autores da lei e discutir o tema: 20 anos do Código de Defesa do Consumidor: Muito a comemorar, muito a melhorar. O seminário, que será realizado das 9 às 18 horas, na Rua Monte Alegre, 984, 2º andar, Perdizes, foi organizado pelo Idec, Procon-SP, Brasilcon e Consumers International. As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas até hoje pelo site www.idec.org.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.