São Paulo Reclama

TRÂNSITO NA REGIÃO DE SANTO AMARO

, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2010 | 00h00

Tráfego intenso

Trabalho no Campo Belo e todos os dias eu passo pela região de Santo Amaro, onde perco bastante tempo com o trânsito. Entendo que há obras do Metrô, mas acredito que os órgãos responsáveis deveriam tentar minimizar os transtornos. Diariamente, eu perco em média 2 horas entre a Avenida Vereador José Diniz (sentido bairro) até a Ponte do Socorro. Como os ônibus não podem mudar o itinerário, a CET deveria fazer desvios para os carros pequenos que passam pelas Avenidas Vereador José Diniz e Santo Amaro, nas Ruas Dr. Antônio Bento, Isabel Schmidt, Carlos Gomes, João Alfredo e na Praça Dona Benta Vieira. Isso ajudaria para a fluidez do trânsito.

YARA TELES DO NASCIMENTO / SÃO PAULO

A CET informa que elaborou projetos de desvio de tráfego para toda a região de Santo Amaro prevendo sinalização de advertência, desvios e rotas alternativas. Responde que a sinalização será instalada pelo Metrô durante a realização das obras da Linha Lilás, como forma de diminuir os impactos à circulação de veículos e pedestres. Explica ainda que a região é monitorada diariamente por rotas operacionais que periodicamente executam revisões nos tempos semafóricos, buscando a redução do tempo de espera, garantindo a fluidez e a segurança.

A leitora comenta: Acredito que revisões são feitas periodicamente, mas elas não são eficazes. Todos os dias enfrentamos um trânsito intenso. É preciso que os órgãos competentes encontrem uma solução para fazer o tráfego fluir - o que não ocorre hoje. Ainda há um longo tempo até a Linha Lilás do Metrô ser concluída. É preciso resolver o problema agora.

PEDIDO DE REEMBOLSO

Voucher com atraso

Fiz uma reserva num hotel em Salvador (BA) pelo site Decolar.com para o dia 6/7. O voucher é imprescindível para fazer o check-in, mas eu não o recebi em tempo hábil. Por isso, cancelei a reserva e fiz uma outra diretamente com o hotel. Apesar de ter me enviado o voucher em 7/7 à noite, a Decolar.com aplicou uma multa e cobrou taxas no valor total de R$ 157 que foram descontadas em meu cartão de crédito. O hotel me confirmou que não exigiu a cobrança de nenhuma multa, pois eu honrei com o compromisso. A empresa alega que o débito é devido, pois fiz o cancelamento em menos de 48 horas.

JUAREZ JOSÉ VIARO / SÃO PAULO

A Decolar.com responde que entrou em contato com o sr. Viaro para informá-lo sobre o procedimento adotado, que o valor em questão estará disponível em seu cartão de crédito e qual será o prazo para que essa operação ocorra.

O leitor comenta: Até o momento o caso não foi solucionado. Não recebi nenhum ressarcimento nem a quantia está nos lançamentos futuros de meu cartão de crédito.

INSS

Agendamento de perícia

Eu sofri um acidente de trabalho. Depois de 15 dias marquei a perícia médica. Mas a atendente agendou consulta para São Carlos, que fica a 400 quilômetros de distância de onde moro. Não tenho condições de ir até lá. Informaram-me de que, se eu quiser desmarcar a perícia, tenho de ir até São Carlos. Estou desesperada, pois não estou recebendo o meu salário e não tenho dinheiro nem para os remédios de que necessito.

ALINE GOMES LIMA / SÃO PAULO

O INSS esclarece que a perícia médica da segurada sra. Aline foi agendada para o dia 21/9, às 10 horas, na Agência da Previdência Social São Caetano do Sul, na Avenida Goiás, 260.

A sra. Maria José, mãe de d. Aline, confirmou à coluna que a perícia médica foi marcada na agência que a sua filha solicitou, em São Caetano do Sul.

MORADORES DE RUA

Nos dias secos e quentes

O Largo de São Francisco virou uma praia e, o parlatório, tribuna do sono. Em dias em que a umidade do ar está tão baixa e a temperatura tão alta - beirando a desumanidade - os moradores de rua do centro tentam despistar o calor, cada um do seu jeito. Um deles tira a camisa; outro ouve rádio numa barraca de camping na porta da Faculdade de Direito; e o terceiro dorme num sono profundo no parlatório ao som do barulho urbano. Dorme não! Ao perceber que registro o seu descanso, ele reage: "Onde encontro creme de pele ou protetor solar de graça, hein?" Esta é apenas mais uma história sobre um dos milhares de moradores de rua que vivem na capital do Estado de São Paulo.

DEVANIR AMÂNCIO / SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.