São Paulo Reclama

AES ELETROPAULO

, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2010 | 00h00

Indenização por prejuízo

No dia 11/5, por volta das 10h30, houve um apagão na região central de São Paulo, que me gerou prejuízo. Segundo a AES Eletropaulo, houve rompimento de cabo subterrâneo, deixando diversos locais da cidade sem energia elétrica. Meu escritório deixou de atender vários clientes e, quando a energia foi restabelecida, fomos obrigados a acionar a assistência técnica do servidor da rede, o que gerou despesas não previstas no orçamento. Mas, de acordo com Termo de Solicitação para Indenização e Condições (TSI) da concessionária, só indenizam os casos de danos elétricos do equipamento. Para mim, os prejuízos devem ser indenizados de acordo com o Código de Defesa do Consumidor, que prevê a obrigação em fornecer serviços eficientes, seguros e adequados e, na ausência de um serviço eficiente, a empresa deve reparar os danos causados.

SÍLVIA ALMEIDA BARROS / SÃO PAULO

A AES Eletropaulo informa que, em 11/5, a interrupção no fornecimento de energia elétrica no local ocorreu por causa do rompimento de cabo subterrâneo e que o fornecimento de energia foi restabelecido na mesma data. Ressalta que atende a todas as normas técnicas e de segurança determinadas pela Agência Nacional de Energia elétrica (Aneel) e que realiza constantemente manutenções preventivas na rede elétrica, a fim de evitar interrupções no fornecimento de energia. Informa que, para a abertura do pedido de indenização por danos em equipamentos elétricos, o cliente deverá comparecer na loja de atendimento mais próxima e, de acordo com a Aneel, a concessionária tem até 45 dias para analisar o pedido e encaminhar carta ao consumidor com o resultado da análise. Ressalta que o aparelho não deve ser reparado sem autorização prévia da distribuidora.

EMERGÊNCIA EM PARQUE

Quem é responsável?

No dia 3/6 ocorreu uma emergência no Parque da Aclimação. Um rapaz, que estava jogando futebol no gramado, sofreu um ataque cardíaco. Infelizmente, a viatura de resgate chegou 15 minutos depois, quando particulares, cansados de esperar, resolveram levá-lo ao hospital num carro comum. Como o local é de grande movimento e há centenas de pessoas praticando atividades físicas, sugiro que coloquem um pequeno posto de primeiros socorros ou uma viatura no local.

MAURO R. MARTINS JÚNIOR / SÃO PAULO

A Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação esclarece que mantém médico de plantão para atender às atividades do

Clube Escola no Estádio Municipal Jack Marin, no Parque da Aclimação, que ocorrem nos finais de semana e feriados. Acrescenta que o aluguel do campo está condicionado ao pagamento de taxa de R$ 93,90, conforme Decreto nº 51.157, de 29/12/2009, e assinatura de termo de responsabilidade sobre a saúde dos participantes das atividades desenvolvidas no local, assim como sobre o transporte em caso de emergências médicas e a manutenção e conservação da estrutura física do local.

A Secretaria Municipal da Saúde informa que o resgate relatado pelo leitor foi realizado pelo Corpo de Bombeiros e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.

SOLICITAÇÃO DIFÍCIL

Manutenção falha

Na Rua Gália, na esquina da Praça Prof. Hugo Sarmento, há meses houve afundamento do asfalto e se formou um buraco. Apesar de inúmeros pedidos da vizinhança, o problema não foi solucionado. Ao reclamar, fui informado de que houve um erro no atendimento e que dentro de uma semana tudo estaria resolvido, o que não ocorreu. Ao ligar para a Prefeitura fui orientado a entrar em contato com a Subprefeitura Butantã. Depois de muita perda de tempo, informaram que um novo pedido teria de ser feito pela internet para depois entrar em contato com a subprefeitura e passar o número do protocolo. Por enquanto só coleciono protocolos. No cadastro do SAC da Prefeitura o termo "buraco" aparece como inválido.

NAGIB CURI / SÃO PAULO

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informa por meio da Subprefeitura Butantã que os serviços de tapa-buracos na Rua Gália serão realizados na quarta-feira (16/6). Qualquer solicitação pode ser feita pelo 156, nas praças de atendimento das subprefeituras ou pelo site da Prefeitura (http://sac.prefeitura.sp.gov.br/).

Esclarecimento: Em relação à reclamação do leitor sr. Thomaz Alberto Schetty (11/6), em que ele questiona o fechamento da Rua Carlo Rainaldi com a Rua das Barcas com grades e portões com autorização da Subprefeitura Santo Amaro, ao contrário do que foi publicado de que não havia resposta, a Subprefeitura Santo Amaro informou que foi firmado um temo de parceria com os moradores da Rua Carlo Rainaldi para o fechamento do local com a declaração de concordância de 70% dos moradores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.