São Paulo Reclama

INDENIZAÇÃO 9 MESES DEPOIS

, O Estado de S.Paulo

04 de junho de 2010 | 00h00

Rapidez dos Correios

Em 24/9/2009 enviei três caixas via Correios para parentes na Europa, e só duas chegaram. Registrei uma queixa em 30/11 e, em 3/12, os Correios pediram a cópia do comprovante de postagem, dando prazo de 60 dias para responder. Sem retorno, entrei em contato no dia 12/2 e soube que o processo de indenização estava em andamento. No final de fevereiro, recebi um e-mail pedindo meus dados bancários. Em março, pelo site, soube que ainda "verificavam o ocorrido". No início de abril, a resposta obtida ainda era a mesma. Na metade desse mês, novamente pelo site, soube que estavam apurando meu pedido com as unidades de Correios por onde o objeto deveria tramitar. Depois, a atendente disse que iria reativar o pedido de informação e que eu deveria entrar em contato dali a alguns dias. No final de abril, recebi outro e-mail dizendo que o caso estava em andamento. Os Correios tentam me vencer pelo cansaço.

VALÉRIA PARISOTTO / PEDRINHAS PAULISTA

A Assessoria de Comunicação da Diretoria Regional São Paulo Interior dos Correios responde que a sra. Valéria será indenizada até o final do mês de maio, via depósito em conta corrente, de R$ 240, referentes aos preços postais acrescidos do seguro contratado.

A leitora comenta: Em 11/5, recebi um e-mail dizendo que o pacote estava na agência onde foi postado e o carteiro o devolveu com a informação de "não reclamado". Acho que os Correios deram o caso como resolvido para não ter de pagar a indenização. Ainda estou insatisfeita. Por causa do jornal, eles se apressaram em finalizar o processo, apesar de já terem me informado que depositariam a indenização devida.

INSPEÇÃO VEICULAR

Suspensão do reembolso

Fiz a inspeção veicular e fiquei surpreso com a suspensão do reembolso da taxa. Segundo o site da Prefeitura: "Em 2010, levando-se em conta que o programa passa a ter uma abrangência nacional de caráter obrigatório, o peso do subsídio e a implantação integral em São Paulo do programa, a Prefeitura suspendeu a devolução da tarifa da inspeção do exercício de 2010, seguindo a prerrogativa da Lei Municipal n.º 14.717/08." Mais uma vez o governo está criando um imposto utilizando um novo nome (inspeção veicular). Por que não autoriza as seguradoras a fazer essa inspeção gratuitamente aos seus segurados? Por que o governo não cobra das pessoas que realmente usam carros que prejudicam o meio ambiente?

LUIS FERNANDO LOPES / SÃO PAULO

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente esclarece ao leitor sr. Lopes que o Programa de Inspeção Veicular Ambiental realizado pela Prefeitura de São Paulo tem como objetivo minimizar as emissões de poluentes pelos veículos registrados na cidade. Como forma de incentivo ao programa, em sua fase inicial o prefeito concedeu em 2009 a devolução da tarifa baseado na Lei nº 14.717/08. Em 2010, o programa atingiu todos os veículos da frota registrada na cidade. Considerando que agora o programa passa a ter uma abrangência nacional de caráter obrigatório, a devolução foi suspensa. A tarifa é o pagamento do serviço prestado pela empresa que ganhou a licitação na Prefeitura por ter apresentado o menor preço aliado à capacidade técnica para realizar o atendimento para toda a frota da cidade.

BURACOS NA CIDADE

Reparos demorados

No Itaim-Bibi o serviço das concessionárias, especialmente da Sabesp e da Comgás, é uma afronta e desrespeita os moradores. Os buracos abertos nas calçadas e nas ruas demoram até meses para ser fechados. Há leis que obrigam o fechamento em 24 horas, mas não são cumpridas e a Prefeitura é conivente. Na Rua Pedroso Alvarenga, na altura do n.º 401, um buraco feito pela a Comgás, no fim de abril, rompeu o cano de esgoto, que está jorrando na calçada há mais de 30 dias. A Sabesp e Comgás foram acionadas dezenas de vezes e não resolveram o problema. Nos locais, as bocas de lobo ficam 15 ou 20 cm abaixo do nível da via. É vergonhoso que impere tanta negligência do prefeito.

JOÃO CÉSAR RIBEIRO/ SÃO PAULO

A Subprefeitura de Pinheiros diz que o local mencionado passou por obras emergenciais da Comgás. A vistoria, feita no dia 24/5, constatou que a concessionária executou o devido reparo.

A Comgás pede desculpas ao sr. Ribeiro pelos transtornos. O objetivo das obras é eliminar

vazamentos, promover melhorias na rede de gás natural canalizado e garantir a segurança aos moradores da região. Em breve, toda a região do Itaim terá uma rede nova e mais segura. Informa que o serviço no local foi concluído e o vazamento, sanado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.