São Paulo Reclama

ÁREAS VERDES TOMADAS PELO MATO

, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2010 | 00h00

Falta de manutenção

As áreas verdes no Alto da Lapa estão totalmente abandonadas há muitos meses. O mato está na altura da cintura de um adulto, transformando-se em criadouro de bichos, depósito de lixo e até de móveis velhos, que ficam com partes abertas para cima, recolhendo água da chuva e se transformando em possíveis criadouros do mosquito da dengue. Há calçadas tomadas pelo mato, pondo em risco os transeuntes que têm de andar pelo meio-fio. Locais como a Praça Ugo Uliani, na Rua Passo da Pátria, estão em péssimo estado.

ANA MARIA DOS SANTOS SOLLA /SÃO PAULO

Lylian Concellos, da Assessoria de Imprensa da Subprefeitura Lapa, informa que as praças da Rua Passo da Pátria constam na programação do setor de conservação de áreas verdes e ajardinadas, que se iniciou no dia 5/5. Explica que há chamados para toda a área da subprefeitura, que precisam entrar no cronograma. São 317 áreas verdes na Lapa. As equipes trabalham sem parar, limpando 4 ou 5 praças por semana, enquanto as outras 300 esperam. Para ajudar a cuidar de algumas praças, empresas e pessoas físicas podem adotar os locais (http://adoteumapraca.wordpress.com/). A Subprefeitura pede aos munícipes que, ao solicitar um serviço, forneçam o número de protocolo (SAC) que pode ser aberto pelo telefone 156, na Praça de Atendimento, ou pelo site oficial, para que haja controle e fiscalização.

A leitora diz: Sei o quanto é difícil manter em ordem uma área verde tão extensa quanto a da Subprefeitura da Lapa,

mas o serviço não vinha sendo feito há mais ou menos um ano, então não se trata de atraso no cronograma, mas sim de total falta de serviço.

ACESSIBILIDADE

Dificuldade de locomoção

Desde o final de abril a travessia de pedestres da Estação de Trem Jaraguá, que era feita pela linha de trem, foi obstruída por um alambrado. A alternativa proposta para tal obstrução foi a passarela que há tempos já existia para quem quisesse e soubesse utilizá-la. Porém estamos sendo vítimas do despreparo de alguns funcionários, que abusam de seu pequeno poder de coerção, ao impedir que idosos, pessoas com problemas de mobilidade (às vezes não aparentes) ou com grandes volumes a serem transportados façam a travessia pela via como sempre fizeram, haja vista que se trata de uma necessidade. O exemplo claro dessa conduta absurda foi um funcionário pedir um documento que comprovasse tal deficiência física!

IARA APARECIDA O. DA SILVA

/ CARAPICUÍBA

A Assessoria de Imprensa da CPTM esclarece que a passagem de nível da Estação Jaraguá foi fechada com o objetivo de preservar a segurança dos usuários e evitar acidentes. Exceções foram abertas no caso de pessoas com mobilidade reduzida, idosos e mulheres grávidas ou com crianças de colo, que podem utilizar a passagem em nível com a supervisão dos vigilantes que atuam ali. Os portões instalados nos gradis foram devidamente sinalizados com as indicações de permissão de passagem e, para tanto, os vigilantes foram orientados para o cumprimento desse procedimento.

EDUCAÇÃO

Estudantes sem livros

Em nome do meu filho, aluno da 4.ª serie do 1.º grau da Escola Estadual Professor Blanca Zwicker Simões, encaminho este e-mail ao jornal para informar que até o dia 5 de maio (mais de 3 meses após o início do ano letivo) alguns alunos continuam sem livro. Motivo: o governo apenas disponibilizou livros para 6 das 8 classes de 4.ª série da escola. O que devem fazer os demais alunos? Deixar de aprender? Lamentável.

RAQUEL BATTIN

/ SÃO PAULO

A Secretaria Estadual da Educação não respondeu.

A leitora diz: Aparentemente o MEC doou o livro para o Estado e ele não foi entregue para todo mundo. Não posso comprar o livro porque não está disponível. Não posso tirar cópia, porque é proibido. Não sei o que fazer!

FRUSTRAÇÃO

Pouco mudou

Mudou o prédio do Detran, mas o atendimento, os hábitos e os procedimentos fazem a gente achar que está no mesmíssimo antigo prédio no Ibirapuera. Acho que o erro é meu, pois pensei que, com o novo prédio, encontraria pessoas mais bem preparadas e preocupadas com a satisfação do cliente. Um ambiente mais organizado, limpo, com processos mais simples. Tanto dinheiro investido em prédios e nenhum centavo investido no ser humano.

MARCOS IGNACIO

/ SÃO PAULO

O Detran não respondeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.