São Paulo quer ser a capital do design

Semana tem dezenas de exposições, palestras, debates e oficinas sobre o tema

Edison Veiga, O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2008 | 23h00

Comunicar. Usar. Habitar. Vestir. Pensar. Essas palavras-chave são utilizadas pelo KM.M.MM - Viver Design em São Paulo para mostrar a onipresença do design. Trata-se do maior conjunto de eventos simultâneos sobre o tema já ocorrido na cidade - até domingo serão dezenas de exposições, palestras, debates, oficinas, filmes e instalações. Promovido pela Secretaria Municipal de Relações Internacionais, com o apoio de 47 entidades públicas e privadas, o Viver Design tem a pretensão de transformar São Paulo na capital sul-americana do design. "A partir dessa série de eventos, iremos promover novas iniciativas para trazer especialistas e mostrar a cidade", explica o secretário, Alfredo Cotait Neto. "Nosso projeto será desenvolvido gradualmente."   Veja também: Confira a programação completa da semana    Um Fusca-jardim faz parte de uma das exposições da semana   A programação está recheada de craques, que se reúnem para discutir sobre moda, urbanismo, design de produtos e design gráfico, além de expor suas peças em locais como o Museu da Casa Brasileira, o Museu Brasileiro da Escultura, o Conjunto Nacional e estações de trem e metrô. O italiano Massimiliano Fuksas, um dos maiores nomes da arquitetura mundial, participou da abertura, na segunda, no Sesc Vila Mariana.   Nesta quinta-feira, 6, um seminário no Museu da Escultura Brasileira (MuBE) irá mostrar o êxito de experiências de projetos de design sustentável. Estão confirmadas também as presenças do colombiano Jorge Montana, da italiana Ilaria Serpente, do chileno Daniel Llach e do venezuelano Lock Man Yee, além dos brasileiros Ivo Pons e Daniele Alcântara.   É possível ainda conferir exposições do designer egípcio Karim Rashid - na Estação Clínicas do Metrô - e do brasileiro Laerte Ramos - na Estação São Bento. A nova geração dos designers brasileiros ganha espaço na Escola Panamericana de Arte e Design, em Higienópolis.   Arte e Solidariedade   No Museu da Casa Brasileira, a instalação Eu Não Sou + de Plástico, Sou Sustentável e Gero Renda apresenta 20 sacolas de compra duráveis criadas por designers em parceria com comunidades carentes. Hoje é o último dia para conferir as peças.   Às 17 horas, o designer inglês Peter Marigold dá um a palestra no CAD Casa Arte & Design, evento que fica até domingo em uma mansão de 2500 m² no Alto de Pinheiros. Sob o tema da sustentabilidade, o espaço apresenta 44 ambientes com soluções criativas, tecnológicas e confortáveis para o modo de vida atual, com a preocupação de agredir o mínimo possível o meio ambiente.   Entre eles, há o curioso Quarto do Jovem Alérgico, assinado pela arquiteta Bianka Mugnatto, com revestimento que evita a proliferação de microorganismos. Até as minibicicletas da decoração, expostas em caixas de acrílico, são imunes à poeira e aos ácaros. Já no Banheiro do Tio Solteiro, a dupla de designers de interiores Clara Fernandes e Suelem Monteiro decidiu abusar de cores contrastantes, mostrando o alto astral desse personagem antenado e aventureiro.   O projeto de cunho social da CAD também tem chamado a atenção. Montado pela ONG Projeto Arrastão, um espaço traz pedidos dos moradores de Campo Limpo, bairro da zona sul atendido pela organização. É como uma colméia, cada casulo tem uma latinha com o desejo de um morador. De acordo com a presidente da ONG, Vera Marzagão, dos 700 pedidos ali colocados, cerca de 150 já foram atendidos pelos freqüentadores da mostra. "Mas muitos deixaram os contatos e esperamos que até o Natal todos sejam realizados", acredita Vera.   Os pedidos têm a ver com moradia - telha, cimento, tinta, etc. "Às vezes, com R$ 2 mil você consegue resolver o problema de uma casa toda", diz a presidente. "É uma forma de juntar os dois mundos." A instalação sensibilizou a designer de interiores Luciana Teperman. "Achei a idéia genial. Vou doar material de acabamento para uma casa onde moram quatro pessoas", conta.   Outro evento simultâneo é a Semana de Moda e Cultura, que também vai até domingo. Promovida pela Livraria Cultura, traz palestras de gente como Paulo Borges, o diretor da São Paulo Fashion Week, e o estilista Alexandre Herchcovitch.   Com mais de 50 ambientes espalhados em 3300 m² no Jockey Club, começa dia 12 o Casa Office, versão da tradicional Casa Cor voltada para escritórios. O evento deve trazer novidades em mobiliário, ergonomia, iluminação e decoração para empresas. A preocupação ecológica está presente no tema escolhido, "inovação e sustentabilidade".

Tudo o que sabemos sobre:
DesignKM.M.MMViver Design

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.