São Paulo lidera casos de violência contra homossexuais

São Paulo lidera casos de violência contra homossexuais

Segundo a delegada titular da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância de São Paulo, há subnotificação das ocorrências

Edgar Maciel, O Estado de S. Paulo

21 de novembro de 2014 | 03h00



SÃO PAULO - No gabinete da delegada Daniela Branco, titular da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância de São Paulo (Decradi), não param de chegar casos motivados de intolerância. Cerca de 20% dos casos são agressões contra homossexuais. No ano, a Decradi 157 boletins de ocorrência até setembro, sendo 37 relacionados à vítimas LGBTT - o maior número do Brasil.

A maioria dos crimes são contra a honra, seguidos de lesão corporal e ameaças. "Os casos são subnotificados. Geralmente, a vítima foge da exposição porque as famílias não conhecem a orientação sexual da pessoa", disse a delegada.

Na Decradi, há um banco de dados com fotos de rosto de suspeitos de cometer os ataques. O objetivo é ajudar as vítimas e a polícia a encontrar os culpados. Uma tarefa difícil, segundo Daniela Branco. "Esses tipos de crimes são difíceis de enquadrar e ultrapassam nossos limites", avaliou.

Tudo o que sabemos sobre:
homofobiaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.