São Paulo entra em estado de alerta após umidade do ar chegar a 18%

Redução da umidade pode causar doenças respiratórias, cardiovasculares e oculares

Marcela Bourroul Gonsalves, estadão.com.br

16 de agosto de 2011 | 14h31

SÃO PAULO - A cidade de São Paulo entrou em estado de alerta por volta das 14h15 desta terça-feira, 16, após a umidade relativa do ar chegar a 18%, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE).

 

Em caso de estado de alerta, a Defesa Civil recomenda que as pessoas evitem exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10h e 16h; evitem aglomerações em ambientes fechados; umidifiquem o ambiente por meio de vaporizadores, toalhas molhadas ou recipientes com água; usem soro fisiológico para olhos e narinas; permaneçam em locais protegidos do sol; consumam bastante água; e procurem andar de carona, já que os veículos colaboram com a poluição.

 

A redução da umidade do ar causa um aumento nos níveis de dióxido de enxofre e material particulado, o que propicia o surgimento ou agravamento de doenças respiratórias, cardiovasculares e oculares.

 

Atualizada às 15h

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.