''São Paulo é mais cara que Londres''

David Medalla, filipino, artista plástico em cartaz na Baró Galeria

Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

19 Setembro 2010 | 00h00

Nascido nas Filipinas mas morando na Inglaterra há mais de quatro décadas, o escultor David Medalla, de 68 anos, tem no currículo o fato de ser o fundador de uma das primeiras galerias de arte experimental de Londres, a Signals Gallery. É a primeira vez que expõe no Brasil - está aqui com a mostra So Pulo: The Secret History of Mondrian Fanclub, uma homenagem ao pintor holandês e uma brincadeira com o nome da cidade sem as letras "A".

Artistas brasileiros. Na "swinging London" da década de 1960, Medalla hospedou um exilado ilustre em sua casa: o artista plástico Hélio Oiticica, a quem influenciou e de quem recebeu influência. Hoje, elogia o contemporâneo Adriano Casanova. "São Paulo tem artistas visuais maravilhosos."

Riqueza. Como qualquer visitante sensato, David Medalla acha São Paulo uma cidade cara. "Mais cara que Londres", acredita. Só não vê isso exatamente como um problema. "Tudo bem, as pessoas aqui têm dinheiro."

Boemia. Com jeito de quem ainda frequenta as badaladas pistas de dança londrinas, Medalla gosta mesmo é de cair na noite. "Por isso o nome da exposição, eu "pulo" em São Paulo", brinca. Na hora de sair, vai de lugar comum. "Vila Madalena é meu bairro favorito."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.