São Paulo ainda sente reflexos do temporal da madrugada

Trânsito é complicado na manhã desta sexta; em noite de caos, cidade registrou 62 pontos de alagamento

Ricardo Valota e Oswaldo Faustino, do estadão.com.br,

22 de fevereiro de 2008 | 04h45

Na manhã desta sexta-feira, 22, São Paulo ainda sentia os reflexos do temporal que atingiu a cidade pela madrugada. Os transtornos causados pelas fortes chuvas complicavam o trânsito da cidade e era possível observar os estragos que as enxurradas causaram por toda a capital. O principal problema encontrado era a quantidade de lama nas ruas por conta dos transbordamentos ocorridos. Na manhã desta sexta, São Paulo registrava 46 quilômetros de lentidão. Por volta das 5 horas, o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo registrou 62 pontos de alagamento. As chuvas atingiram principalmente as regiões sul, sudeste e leste e municípios do Grande ABC.   Veja também: Temporal causa pontos de alagamento e transtornos em SP  Chuva derruba muro do aeroporto de Congonhas   No Ipiranga, região sudeste da cidade, uma composição da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) ficou ilhada entre as estações Tamanduateí e Ipiranga da Linha D, que liga o bairro da Luz ao município de Mauá, com centenas de pessoas a bordo. Os passageiros foram resgatados em botes pelos homens do Corpo de Bombeiros até por volta das 2h desta sexta-feira. O alagamento fez com que o trens ficassem parados desde as 18h30 e a circulação só voltou ao normal durante a madrugada desta sexta.   Na zona Leste, o córrego Aricanduva transbordou e invadiu as pistas, paralisando o trânsito na região. O mesmo problema ocorreu na Avenida Tancredo Neves, no Ipiranga, onde o Córrego Moinho Velho também transbordou. Na mesma região, a Avenida Professor Abraão de Moraes foi tomado pelas águas do Córrego Ipiranga, e na Rodovia Anchieta, o alagamento foi causado pelo Ribeirão dos Couros, que passa sob as pistas no quilômetro 13. A rodovia chegou a ficar fechada por quase 40 minutos nos dois sentidos. O resultado foram quilômetros de lentidão, que perduraram até o início da madrugada desta sexta-feira.   Um muro do aeroporto de Congonhas, com cerca de 30 metros de extensão, ao longo da Avenida Bandeirantes, desabou. Ninguém se feriu e não houve prejuízo para as operações de pousos e decolagens.   Vários bairros ficaram alagados em Mauá, Santo André, São Bernardo e São Caetano do Sul, principalmente nas regiões ao longo do Rio Tamanduateí. Carros foram levados pela enxurrada e muitos motoristas não conseguiram chegar em casa.   No limite entre São Paulo e São Caetano do Sul, choveu 81,3 milímetros, equivalentes a quase 40% do volume de água esperado para todo o mês de fevereiro na cidade - 217 mm.

Tudo o que sabemos sobre:
chuva em SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.