Valéria Gonçalvez/AE
Valéria Gonçalvez/AE

São Luís e suas lendas inspiram a Tucuruvi

Carnavalesco estreia na escola da zona norte de SP levando para o Anhembi história de sua terra natal

Leandro Calixto - Jornal da Tarde,

01 Fevereiro 2010 | 11h59

SÃO PAULO - O enredo da Acadêmicos do Tucuruvi é como se fosse uma volta ao passado na vida do carnavalesco da escola, o maranhense Wagner Santos, de 47 anos. Longe de sua terra natal desde os nove anos de idade, Santos desenvolve um sonho: o de levar para avenida a história e lendas de São Luís do Maranhão. "Era um projeto de vida que eu tinha: o de falar de minha casa, conhecida por sua diversidade cultural e por suas magias", diz, empolgado, o carnavalesco.

 

Com a motivação redobrada pela escolha do enredo, o carnaval de 2010 vai ser a estreia de Santos na Tucuruvi. Ele passou os últimos dez anos na Vila Maria. Bateu na trave algumas vezes, mas nunca conquistou o título. "Senti a necessidade de renovar, de viver novas experiências. E estou muito confiante em desenvolver um grande desfile na Tucuruvi. A escola vem para brigar pelo título."

 

A azul, branco, vermelho e amarelo da zona norte levará no Anhembi o enredo São Luís do Maranhão: um universo de encantos e magias, ilhas dos amores, terra das palmeiras, cidade dos azulejos, atenas brasileira, patrimônio cultural da humanidade e capital brasileira do reggae e da cultura. "Essas são algumas das principais características da cultura de meu povo", diz Santos, lembrando que a cidade é a única capital brasileira, que foi fundada por franceses.

 

O trabalho de barracão da escola deve terminar até o dia 30 deste mês. Abusando do luxo, três dos cinco carros alegóricos já estão concluídos. Os últimos dois estão na fase de acabamento. Um dos carros vai transformar o Anhembi numa grande festa de São João. Já o terceiro, irá retratar os casarões de São Luís, enquanto o quarto irá mostrar as lendas da cidade. O último vai mostrar que São Luís é também conhecida como a capital do reggae no Brasil. O abre-alas representará os ritmos e a influência da cultura africana na cidade.

 

"Em apenas um dos carros, vamos vir com mais de 50 pessoas. Queremos deixar as alegorias bem vivias. Nosso objetivo é deixar a escola com uma aparência mais imponente", diz. Mais de 3 mil componentes, divididos em 23 alas, estão confirmados no desfile. O investimento passou dos R$ 2,6 milhões, segundo o presidente da Tucuruvi, Houssein Abdo El Selam. "Em dois anos quase fomos campeões: em 94 e 2001. Perdemos por erros nossos. Neste ano, nos preparamos muito."

Mais conteúdo sobre:
carnaval 2010Tucuruvi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.