'São José' é o santo mais popular entre os nomes de municípios

Ele tem 60 citações, segundo levantamento do IBGE; das 5.565 cidades do País, 11,7% têm nome de santo

FELIPE WERNECK / RIO, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2011 | 03h04

Uma em cada nove cidades brasileiras tem nome de santo. São 652 (11,7%) dos 5.565 municípios do País. Divulgado ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Banco de Nomes Geográficos do Brasil mostra que "São José" é citado 60 vezes. Em seguida, vêm "São João" (54), "Santo Antônio" (38) e "São Francisco" (27). Conhecido como "padroeiro dos trabalhadores e das famílias", São José é um dos mais populares da Igreja Católica.

O objetivo do trabalho do IBGE - disponível na internet (www.bngb.ibge.gov.br) - é ampliar o conhecimento sobre os nomes geográficos e padronizar as grafias para que se tornem oficiais. Paraty (RJ), por exemplo, se escreve com "y" mesmo, e Ilhabela forma uma só palavra.

Trata-se do primeiro banco de nomes geográficos do País, com informações sobre cerca de 55 mil localidades, entre municípios, vilas, povoados, rios, montanhas, rodovias, áreas indígenas e de proteção ambiental, entre outros. Por enquanto, a explicação sobre os aspectos históricos dos nomes só está disponível para municípios dos Estados do Rio e do Paraná, mas está prevista para 2012 a inclusão de São Paulo, Minas e Goiás.

Segundo o IBGE, estima-se que 300 nomes de municípios não estão padronizados. Mogi das Cruzes (SP), por exemplo, é Moji das Cruzes na grafia usada pela Academia Brasileira de Letras (ABL).

Origens. No guia, há curiosidades como a origem do nome Volta Redonda (RJ). "A denominação foi dada em função do Rio Paraíba do Sul, pois a cidade encontra-se em torno de uma curva do rio, quase um semicírculo, origem do pleonasmo."

Já Varre-Sai, também no Rio, surgiu de um lembrete escrito na porta de um rancho que era ponto de parada dos viajantes de Minas em busca de ouro, no local hoje ocupado pela sede do município. Segundo a placa, todos que ali parassem deveriam limpar o local antes de seguir caminho, retirando as fezes de seus cavalos.

O nome Cantagalo (RJ) vem da história de um português que não pagava impostos, que se escondeu no mato e foi descoberto porque um galo cantou. Quissamã é o único nome geográfico de município fluminense de origem africana. Originário do tupi, Saquarema é uma referência ao cheiro desagradável das fezes de aves. Já Mangaratiba (RJ) vem das plantações de banana - em tupi, mangara significa ponta da banana, e tiba, lugar. Araruama (RJ) é o local onde as araras bebem água.

O IBGE informou que vai aceitar como variante o nome popular do Viaduto Engenheiro Oscar Brito, na capital fluminense, conhecido como Viaduto dos Cabritos. "Erros ortográficos são corrigidos, regionalismos são respeitados", informou o instituto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.