São Carlos ganha 100 gravuras de Salvador Dalí

Fazendeiro fez a aquisição nos anos 1960 e decidiu agora doar as obras para prefeitura, que criará espaço aberto ao público

RENE MOREIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO, FRANCA, O Estado de S.Paulo

10 de abril de 2013 | 02h03

Por meio da doação de um fazendeiro, o município de São Carlos (SP) receberá a coleção de 100 gravuras de Salvador Dalí que retratam a Divina Comédia, do poeta renascentista Dante Alighieri. O fazendeiro, Lover Ibaixe, fez a aquisição nos anos 60 em visita à Espanha. Ele diz ter pago 300 moedas de ouro à mulher do pintor, Gala Dalí. As obras estão em um banco de Goiânia (GO) e devem chegar a São Carlos até julho. A prefeitura da cidade ainda estuda um local para abrigar esse material cujo valor não foi estimado.

Todas as gravuras estão guardadas desde 1963, tendo sido retiradas somente duas vezes, uma delas há pouco mais de dez anos quando foram expostas na Câmara dos Deputados, em Brasília. E a outra para uma exposição em favor do Instituto Cultural Antonio Ibaixe, que leva o nome do pai do fazendeiro e empresário. A autenticidade da coleção adquirida por Ibaixe foi confirmada durante a exposição em Brasília, ocasião em que recebeu parecer favorável da perita inglesa Juliette Murphy.

O motivo das obras terem sido doadas à cidade paulista é que Lover Ibaixe, que tem 80 anos, nasceu em São Carlos. Porém, já há bastante tempo reside em Goiânia (GO), tendo retornado nesta semana à sua terra natal para anunciar a doação do acervo. Anteontem, disse que ter um grande carinho pela cidade paulista e que queria deixar algo para toda a sua população.

Para transferir a coleção, o empresário e o prefeito de São Carlos, Paulo Altomani (PSDB), assinaram um protocolo de intenção de doação. Ficou estabelecido que o município providenciará local adequado e seguro para receber o acervo, comprometendo-se a deixá-lo exposto permanentemente. Também caberá à prefeitura ficar responsável pelos custos do transporte, limpeza e catalogação.

Presente. O prefeito disse considerar este um presente para a cidade. "Agora a nossa Coordenadoria de Artes e Cultura vai analisar qual o melhor local para acomodar as obras. A nossa intenção é construir um espaço adequado, climatizado, com iluminação especial." Apesar de as obras chegarem em 90 dias, segundo Altomani, a expectativa é de abrir para visitação ao público no dia 4 de novembro, data do aniversário de São Carlos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.